Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 30/04 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 28/04 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 30/04 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 28/04 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 30/04 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 30/04 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 30/04 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 30/04 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Macron e Mélenchon surpreendem na corrida presidencial francesa

media Emmanuel Macron e Jean-Luc Mélenchon sobem nas pesquisas desta semana na corrida presidencial francesa. REUTERS/Christian Hartmann

A menos de um mês do primeiro turno da eleição presidencial na França, três pesquisas de opinião publicadas nesta semana indicam oscilações importantes na popularidade dos principais candidatos ao Palácio do Eliseu.

Segundo a pesquisa do Instituto Odoxa para a revista L’Express, publicada nesta terça-feira (28), o candidato centrista independente Emmanuel Macron, líder do movimento Em Marcha e favorito até agora no pleito, registrou um aumento significativo de oito pontos percentuais, com um índice de aprovação de 45%, seguido de perto por Jean-Luc Mélenchon, candidato da extrema-esquerda do movimento França Insubmissa, que subiu sete pontos percentuais e que alcança, pela primeira vez desde o início da campanha, um índice de popularidade de 40%, o segundo candidato mais “confiável” na opinião dos franceses.

Segundo a revista L’Express, a progressão de Macron não se deve à adesão dos simpatizantes da direita, entre os quais ele perdeu sete pontos, mas sim ao voto de franceses à esquerda, onde ele subiu 10 pontos percentuais, além de outros cinco entre os indecisos. O Instituto Odoxa revelou, no entanto, que a subida de Jean-Luc Mélenchon encontra uma “enorme aderência” junto aos simpatizantes da direita (12 pontos) e mesmo do partido de extrema-direita Frente Nacional (nove pontos).

Mélenchon obteve sucesso também entre os indecisos, com um aumento de oitos pontos percentuais entre os franceses que ainda não sabem em quem votar. Para a L’Express, Mélenchon desponta como a “grande surpresa” da pesquisa: 38% dos entrevistados se declararam “surpresos” de forma positiva com as últimas participações do candidato da extrema-esquerda durante a campanha presidencial na França. A pesquisa Odoxa afirma ainda que o candidato da direita, François Fillon (Os Republicanos), aparece com o maior índice de rejeição popular, 48%, e que o centrista Emmanuel Macron seria, para 33% dos franceses entrevistados, o melhor candidato à presidência.

Novas tendências e possível abstenção “recorde”

A pesquisa do Instituto Ifop publicada na segunda-feira (27) confirma a mesma tendência registrada pelo Odoxa: a subida “inegável” do candidato da extrema-esquerda, Jean-Luc Mélenchon, que subiu 14 pontos percentuais, e o declínio do candidato da direita, François Fillon, que atinge seu pior nível desde o início da campanha, computando apenas 17,5% dos votos dos entrevistados.

Segundo a pesquisa Ipsos-Sopra Steria para a rede pública de TV France Télévisions, publicada nesta terça-feira (28), a hipótese de um “duelo” entre a candidata de extrema-direita, Marine Le Pen, e o centrista Emmanuel Macron em um possível segundo turno “se reforça cada vez mais”, a menos de um mês do primeiro turno da eleição. Eles teriam hoje, respectivamente, 25% e 24% das intenções de voto. A queda de François Fillon é mais uma vez sentida nesta terceira pesquisa de opinião: o candidato obteve apenas 17% das intenções de voto.

Os resultados sublinham ainda o “espectro de uma taxa de abstenção recorde”: apenas 65% dos eleitores consultados manifestaram desejo de comparecer às urnas no próximo dia 23 de abril. Se esta tendência se confirmar, a abstenção numa eleição presidencial francesa baterá seu recorde, que era 28,4% em 2002, quando o candidato da extrema-direita Jean-Marie Le Pen (pai da atual candidata da Frente Nacional, Marine Le Pen) passou pela primeira vez para o segundo turno em um pleito para chefe de Estado na França.

Entre os franceses consultados, 58% consideram Jean-Luc Mélenchon o candidato “mais honesto” e 53% avaliam que ele “compreende bem os problemas dos franceses”. O centrista Emmanuel Macron é considerado por 47% dos entrevistados o candidato mais indicado para “renovar positivamente a maneira de fazer política” e 41% o consideram o melhor homem para “se tornar presidente da Républica” da França. No caso de um segundo turno contra Marine Le Pen, Macron venceria o pleito na opinião de 62% dos franceses, segundo a pesquisa Ipsos-Sopra Steria.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.