Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 27/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 27/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 27/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 26/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 26/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 26/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 26/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 26/06 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Macron, candidato de centro, vence 1° debate à eleição presidencial francesa

media Os principais candidatos à presidência da França participaram nesta segunda-feira(20) de um debate, no qual a líder de extrema direita Marine Le Pen foi alvo da maioria dos ataques. REUTERS/Patrick Kovarik/Pool

O ex-ministro da Economia francês, Emmanuel Macron, do movimento de centro “Em Marcha”, foi considerado o candidato mais convincente durante o primeiro debate à eleição presidencial francesa nesta segunda-feira (20), transmitido pelo canal de TV TF1.

Além de Macron, o debate reuniu a representante da extrema-direita, Marine Le Pen, favorita ao primeiro turno, com cerca de 27% das intenções de voto, o ex-premiê François Filllon, do partido “Os Republicanos”, Jean-Luc-Mélenchon, da extrema-esquerda e o representante do partido Socialista, Benoît Hamon.

Macron, que venceria Le Pen se chegasse ao segundo turno, teve o melhor desempenho de acordo com 29% dos entrevistados de uma pesquisa feita pelo canal BFMTV e o instituto Elabe, com cerca de 1157 telespectadores. Méléchon, da extrema-esquerda, chegou em segundo lugar, com 20% dos votos, seguido de François Fillon e Marine Le Pen, ambos com 19%. O último colocado foi o representante socialista, que teve apenas 11%.

Cerca de 10 milhões de telespectadores assistiram ao debate, que reuniu apenas os candidatos mais cotados nas pesquisas. A discussão durou mais de 3h30 e envolveu questões como segurança, imigração e laicidade.

Uma das principais polêmicas envolveu o uso do burquíni nas praias francesas. Le Pen acusou Macron de ser a favor da vestimenta adotada por algumas muçulmanas e que cobre todo o corpo. Ele reagiu dizendo que não precisava de “um ventríloquo” para colocar palavras em sua boca e acusou Le Pen de “dividir a sociedade, transformando os franceses muçulmanos em inimigos da república”.

Macron, ex-banqueiro, também teve que responder ao candidato do partido Socialista, Benoît Hamon, sobre o financiamento de sua campanha. Ele afirmou receber apenas doações de pessoas físicas, em média de 50 €. A lei determina que o teto possa chegar a € 7 mil. Mas, apesar da troca de farpas, de um modo geral os ânimos não se acirraram durante o debate.

Presunção da legítima defesa para policiais

Na primeira parte do debate, os candidatos apresentaram suas propostas para melhorar a segurança e a educação. Marine Le Pen, por exemplo, chocou ao dizer ser favorável à criação do direito de “presunção da legítima defesa para policiais” e do corte das ajudas sociais para pais de menores com diversas passagens pela polícia. Sobre a imigração, ela declarou abertamente que colocará um fim à imigração “legal e ilegal”.

Surpreendentemente, François Fillon, indiciado pela criação de empregos-fantasma na Assembleia francesa, que beneficiou sua mulher e filhos, foi pouco questionado a respeito do caso.

A 34 dias do primeiro turno, o resultado das eleições presidenciais francesas continua uma incógnita. Uma das únicas certezas, por enquanto, é que a candidata da extrema-direita deve chegar ao segundo turno, mas seu adversário permanece um grande mistério.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.