Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Incentivo fiscal torna França atraente para filmagens estrangeiras

Incentivo fiscal torna França atraente para filmagens estrangeiras
 
Natalie Portman interpreta Jacqueline Kennedy Divulgação

Cada vez mais cineastas estrangeiros têm escolhido a França para realizar seus filmes. No ano passado, 36 produções internacionais foram filmadas em Paris e outras cidades do país, contra 22 em 2015.

Entre elas estão grandes produções como "Jackie", do chileno Pablo Larrain, sobre a ex-primeira-dama americana Jacqueline Kennedy, e “Dunkerque”, do britânico Christopher Nolan, sobre a evacuação dessa cidade francesa durante a Segunda Guerra Mundial.

"A França se tornou muito atraente para os produtores estrangeiros desde 2009, quando foi implantado o crédito fiscal para as produções de fora. Entre os primeiros projetos realizados está "Meia-Noite em Paris", de Woody Allen. Mas, desde então, esse mecanismo foi melhorado em 2016, passandode 20% a 30% de incentivos fiscais. Isso representa uma grande vantagem competitiva em relação aos nossos vizinhos, especialmente o Reino Unido, que oferece 25%", explica Valérie Lépine, diretora-geral da agência estatal de cinema Film France.

Para ela, a França é identificada, principalmente pelos americanos e indianos, como um destino interessante, tanto pelas paisagens e locações quanto pelos técnicos de alto nível e, claro, pelo crédito fiscal, que é uma vantagem financeira para os produtores"

Ela afirma que, para atrair ainda mais filmes e séries, "desde janeiro deste ano, o piso para obter o crédito fiscal foi reduzido". "Antes era necessário gastar 1 milhão de euros na França. Agora são 250 mil euros. Isso significa, por exemplo, que um, dois ou três episódios de uma série ou novela podem ser perfeitamente gravados na França."

Os estúdios franceses, como La Cité du Cinéma, do diretor Luc Besson ("Nikita"), também faturam com a onda de produções estrangeiras. Foi lá que gravaram "Jackie".

Benefícios para a França

Para Jean-Yves Mirski, diretor-geral da Federação Francesa de Cinema, há muitos benefícios para a França: "Primeiramente, esses filmes servem como uma vitrine para o país. Os espectadores veem as paisagens, os lugares emblemáticos, que são frequentemente identificáveis, como a torre Eiffel. E também proporcionam receitas fiscais e sociais que são adicionais para a economia francesa. Se não houvesse esse crédito de impostos, esses produtores não viriam filmar aqui. Então há um retorno positivo".

Além disso, continua, "vários milhares de empregos são criados, mesmo que sejam efêmeros". "Por exemplo, durante a filmagem de Dunkerque, na cidade francesa de mesmo nome, milhares de figurantes trabalharam durante várias semanas. Além disso, há o trabalho dos técnicos. Então, todo um setor da indústria técnica é beneficiado."

As produções, que devem ser filmadas pelo menos cinco dias em solo francês, se espalham por todo o território. "A região de Île-de-France e Paris são os principais destinos dos produtores estrangeiros. Mas, no ano passado, o cineasta inglês Christopher Nolan veio filmar 'Dunkerque', na região Hauts-de-France. Uma produção indiana, o filme 'Bekfire', que é uma comédia sentimental bollywoodiana, foi rodada em Paris, no sul da França e na região da Picardie", afirma Valérie.

E continua: "Atualmente a série "Riviera", do cineasta irlandês Neil Jordan, está sendo filmada no sul da França. Vemos que o crédito fiscal atrai projetos por toda a França e também nos territórios ultramarinos, como a série inglesa "Death in Paradise", gravada há seis temporadas em Guadalupe. Quando um episódio passa na BBC, ele tem em média oito milhões de telespectadores".

Jean-Yves diz que a França enfrenta a concorrência de outros países europeus, que também oferecem benefícios fiscais. "São a Bélgica, Luxemburgo e o Reino Unido, entre os mais próximos. Em relação à contratação de figurantes, quando os filmes precisam de muita gente, os países do leste são muito competitivos porque têm menos encargos sociais. Mas o nosso novo crédito fiscal faz da França um país muito mais competitivo que antes." Para este ano, já se fala na filmagem de parte de Missão Impossível 6 no país.
 


Sobre o mesmo assunto

  • França tem, em 2016, 2° maior público de cinema dos últimos 50 anos

    Saiba mais

  • Filme brasileiro compete em festival de cinema de Macau

    Saiba mais

  • Kirk Douglas, lenda viva do cinema, completa 100 anos

    Saiba mais

  • Histórias de resistência marcam 25° Festival de cinema de Biarritz

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.