Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 26/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 26/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 26/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 26/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 26/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 26/09 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 24/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 24/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Legalizar maconha é tema inédito na campanha presidencial da França

Legalizar maconha é tema inédito na campanha presidencial da França
 
Gaspard Estrada, cientista político do Instituto de Estudos Políticos de Paris (Sciences Po) RFI

O ex-ministro da Educação, Benoît Hamon, foi escolhido para representar os socialistas na corrida presidencial francesa. Ao derrotar nas primárias o ex-premiê Manuel Valls, ele impôs uma visão mais à esquerda do partido, além de propor, durante sua campanha, debater pela primeira vez alguns temas polêmicos.

Hamon era o favorito no segundo turno das primárias. Um dos pilares de seu programa foi o projeto de criar um salário universal de € 750 por mês para todos os franceses, inclusive para os que não trabalham. O candidato também pretende incitar a redução do tempo de trabalho, além de legalizar a maconha.

Para o cientista político Gaspard Estrada, professor do Instituto de Estudos Políticos de Paris (Sciences-Po), há uma mudança na opinião pública no que diz respeito a temas como a legalização de algumas drogas. “Essa é a primeira campanha presidencial na França onde, de fato, esse consenso proibicionista que existia até hoje mudou”.

Apesar de levantar temas inéditos, Hamon ainda está longe dos favoritos na corrida presidencial. Segundo os últimos dados, lideram nas pesquisas de opinião Marine Le Pen, líder da extrema-direita, François Fillon, conservador do partido Os Republicanos, de direita, e Emmanuel Macron, ex-ministro da Economia do PS, que segue com uma legenda própria e apresenta projetos vistos como neoliberais.

No entanto, segundo o cientista político, esse panorama pode mudar, já que a campanha está se caracterizando pelas surpresas. “Há alguns meses, ninguém imaginava que Nicolas Sarkozy, Alain Juppé, Manuel Valls e o próprio François Hollande, seriam cartas fora do baralho político”, comenta Estrada. Mas o analista admite que o cenário mais provável não é o de uma vitória do Partido Socialista, principalmente “por causa da rejeição do governo Hollande e da má gestão governamental”. Mesmo assim, o cientista político ressalta que Hamon está progredindo nas pesquisas de opinião.

Para ouvir a entrevista completa, clique na foto acima ou assista o vídeo abaixo.

 


Sobre o mesmo assunto

  • França/Política

    Unir o Partido Socialista será primeiro grande desafio de Benoît Hamon

    Saiba mais

  • "A esquerda levantou sua cabeça", diz Hamon, candidato do PS à presidencial francesa

    Saiba mais

  • Benoît Hamon vence primárias e representará socialistas na presidencial francesa

    Saiba mais

  • França lança campanha contra uso de maconha ao volante

    Saiba mais

  • França

    França vive nova polêmica sobre legalização da maconha

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.