Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/06 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/06 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/06 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/06 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/06 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/06 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Personalidades de Marselha pedem legalização da maconha para combater o tráfico

media Os deputados socialistas Patrick Mennucci e Marie-Arlette Carlotti, em imagem de 2014, assinaram a petição sobre a legalização da maconha. REUTERS/Jean-Paul Pelissier

Em uma petição publicada neste domingo (8) no Journal du Dimanche (JDD), 150 moradores de Marselha (sul), incluindo os deputados socialistas Patrick Mennucci e Marie-Arlette Carlotti, defendem a "legalização controlada" da maconha. Eles defendem a medida como um instrumento de combate ao tráfico de drogas, que tem provocado dezenas de mortes em acertos de contas entre traficantes.

"Marselha sofre danos causados pela proibição da maconha. Nós queremos incitar uma mudança e defendemos uma política mais eficaz e humana. Lançamos este apelo de Marselha para toda a França, para que haja um debate sobre a legalização da maconha no período eleitoral", diz o manifesto assinado por médicos, professores, sociólogos, artistas, dois juízes aposentados e policiais. A França terá eleições presidenciais em abril-maio e elegerá um novo Parlamento em junho.

Os signatários da petição consideram que a política de combate ao tráfico, baseada na proibição da maconha, é um fracasso. "Ela cria redes criminosas e tráfico organizado; arrecada somas consideráveis e gangrena bairros mais pobres da cidade", argumentam os moradores. "A maioria dos acertos de contas tem conexão com o tráfico de drogas", lembram os signatários.

Segundo dados oficiais, em 2016, os acertos de contas ligados ao narcotráfico deixaram 27 mortos no departamento de Bouches-du-Rhône, onde fica Marselha, contra 19 mortes em 2015.

"Um desastre para a cidade"

"Conscientes do desastre que o tráfico provoca em nossa cidade, fazemos um apelo pela legalização controlada da produção, da venda e do consumo da maconha, como já acontece em vários países", enfatiza o texto. Entre os efeitos positivos do fim da proibição, os signatários citam o fim das redes mafiosas que prosperam com a interdição da maconha, a diminuição das mortes, a possibilidade de o Estado "arrecadar legitimamente" impostos relacionados ao comércio legal da droga e a criação de empregos na agricultura.

Em um estudo realizado pelo Observatório Francês da Droga e da Toxicodependência (OFDT) em 2014, 17 milhões de franceses declararam ter fumado um cigarro de maconha pelo menos uma vez em suas vidas. Cerca de 700 mil franceses consomem a droga diariamente, segundo o OFDT. A erva é a primeira substância ilícita consumida por adolescentes, e com um início precoce, na faixa de 11 a 15 anos.

Em 2014, o Ministério da Justiça francês registrou 58.406 condenações relacionadas ao tráfico de drogas, tanto por tráfico quanto por consumo de substâncias ilícitas. A maconha é de longe a campeã desse tipo de ação, representando 91% dos casos julgados, contra 4% de cocaína e heroína.

O debate sobre a legalização da maconha retorna com frequência à mídia francesa. Porém, a classe política, de maioria conservadora, rejeita avanços.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.