Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 27/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 27/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 27/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 26/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 26/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 26/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 26/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 26/06 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Champs-Élysées era um dos alvos de terroristas detidos na França

media A França afirma ter frustrado um plano de ataque onde um dos alvos era a avenida do Champs-Elysées. REUTERS/Charles Platiau

Fontes policiais francesas revelaram nesta quinta-feira (24) os alvos potenciais de atentados planejados por um grupo de homens detidos no último fim de semana em Estrasburgo, leste da França, e Marselha, no sul do país. Os suspeitos pretendiam atacar, às vésperas do Natal, locais simbólicos e turísticos da capital, como a avenida Champs-Elysées.

Dos sete detidos no último final de semana, dois foram liberados e cinco permanecem sob custódia da polícia. Eles têm entre 29 e 37 anos e a maioria não era conhecida dos serviços antiterroristas. De nacionalidades francesa, marroquina e afegã, vários suspeitos teriam passado pela Síria.

Em um telefone celular apreendido com o grupo, os policiais descobriram que eles pretendiam passar à ação no dia 1° de dezembro. Os atentados seriam provavelmente coordenados em Paris e na periferia da capital. Entre os alvos detectados está a estação Charonne do metrô, próxima do restaurante Belle Equipe que foi um dos locais atingidos pelos terroristas do grupo Estado Islâmico em novembro do ano passado. Os suspeitos também planejavam atacar duas sedes de órgãos da polícia, o Palácio de Justiça, uma biblioteca, uma igreja, a Eurodisney, e a tradicional feira de Natal na avenida Champs-Élysées.

Investigação durou oito meses

A investigação que levou à prisão do grupo começou há oito meses. Durante a Eurocopa, realizada na França em junho desde ano, dois franceses ligados ao mandante dos ataques, já tinham sido presos. Eles foram flagrados tomando empréstimos para financiar os atentados.

As autoridades francesas sabem que o mandante do grupo está na Síria, mas ele ainda não foi identificado. Em buscas realizadas nas casas dos detidos, a polícia apreendeu armas e material de propaganda jihadista.

O ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, elogiou na segunda-feira (21) a ação das tropas de elite francesa, que teve uma “ação exemplar” e “extremamente eficaz” para desmantelar esse grupo. A investigação agora entra em uma nova etapa para definir exatamente qual era o papel de cada um dos envolvidos no projeto de atentados.

Há dois anos a França enfrenta uma onda de ataques sem precedentes, e o nível de ameaça continua extremamente elevado e o país vive em estado de emergência, desde de os atentados de 13 de novembro de 2015. Desde setembro, já houve 143 detenções de suspeitos terroristas, sendo que 52 pessoas foram presas e 21 estão sob controle judiciário.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.