Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Fotografia de moda é destaque em exposições na França

media Audrey Hepburn fotografada em Paris por Avedon, em 1959 © The Richard Avedon Foundation

Não é de hoje que a moda serve de vitrine para o trabalho de grandes fotógrafos. A prova disso está em três exposições em cartaz atualmente na França, que mostram como o mundo das passarelas e das revistas revelou alguns dos maiores talentos da fotografia.

Todos os fãs de Audrey Hepburn ou de Fred Astaire já assistiram, pelo menos uma vez, Funny Face, filme dirigido por Stanley Donen em 1956, que conta a história de uma jovem nova-iorquina vendedora de livros, transformada em manequim do dia para a noite e enviada a Paris como modelo. Conto de fadas de uma França idealizada para alguns, percussor de O Diabo veste Prada para outros, o filme se inspira dos bastidores da moda, mas também de um personagem de verdade: o fotógrafo Richard Avedon (1923- 2004).

O norte-americano sempre foi muito ligado a Paris e à moda francesa, uma relação que dá o tom de La France d’Avedon – Vieux Monde – New Look, exposição que acaba de abrir suas portas na Biblioteca Nacional Francesa (BNF). Em cartaz até 26 de fevereiro de 2017, a mostra começa justamente com Funny Face, produção onde o fotógrafo é incarnado por Astaire, mas para a qual ele também atuou como “consultor visual”, além de imortalizar os bastidores, em fotos que podem ser vistas no curto mas interessante percurso da exposição.

Teatrais, dramáticas, e algumas vezes irônicas, as imagens de moda foram a principal vitrine do trabalho de Avedon, como “Dovima e os elefantes”, fotografia que infelizmente não faz parte da mostra da BNF, mas que tornou célebre o americano. No entanto, a exposição também traz uma galeria de retratos de personalidades como Coco Chanel, Catherine Deneuve ou ainda Jeanne Moreau. O interesse do americano pela França é também presente por meio de seus trabalhos realizados para a revista francesa Egoïste, onde atuou entre 1985 e 2004, ou ainda por sua paixão por Lartigue, fotógrafo francês sobre o qual ele até editou um livro.

Pioneira da foto de moda

Uma das fontes de inspiração de Avedon era sua compatriota Louise Dahl-Wolfe (1895-1989), cujo trabalho também está sendo exposto atualmente, no Pavillon Populaire de Montpellier, no sul da França. Pioneira, ela começou a fotografar nos anos 1930 e revolucionou uma indústria das imagens de moda que engatinhava. Suas composições, relativamente simples, se ajustavam perfeitamente às linhas puras dos looks Balenciaga ou Dior da época.

Colaboradora durante 20 anos da revista Harper’s Bazaar (a mesma publicação que anviou Avedon para Paris pela primeira vez em 1947), ela foi uma das primeiras a trabalhar com luz natural, levar as modelos para a rua, ou ainda fotografá-las diante de monumentos históricos. “Ela criou, muito cedo, em ruptura com as práticas de estúdio, um novo estilo”, conta Oliva María Rubio, curadora da exposição L’élégance en continu, a primeira mostra sobre a obra da fotógrafa fora do continente americano, e que fica em cartaz até 8 de janeiro de 2017

Inspiração californiana

Apesar de sua influência nas revistas da época, Louise Dahl-Wolfe é pouco lembrada pelos historiadores da moda. No entanto, ela deixou alguns herdeiros. Além do próprio Avedon, Herb Ritts (1952-2002), cujo trabalho também é exposto atualmente em Paris, se inspirou de sua compatriota nas técnicas de fotografias externas.

A obra de Ritts, que faz parte dos grandes nomes da fotografia de moda dos anos 1990, foi marcada pelo fenômeno das top model, que podem ser vistas em uma imagem emblemática que traz, juntas, Stephanie Seymour, Cindy Crawford, Christy Turlington, Tatjana Patitz. Mas ele também ficou conhecido por ter realizado o clip da canção Cherish, de Madonna, gravado na praia de Malibu, ou ainda por seus nus, que brincam com efeitos de luzes e sombras, quase sempre banhados pelo sol de sua Califórnia natal. Uma das imagens mais impressionantes da mostra, em cartaz até 30 de outubro na Maison Européenne de la Photographie, é a da modelo sul-sudanesa Alek Wek, entre criatura de outro planeta e guerreira do deserto.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.