Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/10 15h00 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Franceses voltam às ruas contra lei do casamento gay

media Manifestantes nas ruas de Paris contra o casamento gay e também contra "barrigas de aluguel" e procriação assistida. REUTERS/Benoit Tessier

Milhares de franceses voltaram às ruas de Paris neste domingo (16) para pedir a revogação da lei que autoriza o casamento gay no país, aprovada há dois anos, e em defesa da família tradicional. O evento acontece a seis meses da próxima eleição presidencial no país.

Segundo a polícia, a mobilização reuniu 24 mil manifestantes, mas para os organizadores foram 200 mil. O cortejo passou pelos bairros mais chiques das regiões oeste da capital francesa. Uma faixa com a frase "Em 2017 eu voto pela família" abriu o desfile formado por famílias inteiras e idosos. Com bandeiras azuis e rosas, as cores do movimento e associadas a um menino e a uma menina, os manifestantes desfilaram por várias ruas com cartazes em defesa da família tradicional.

A manifestação foi convocada pelo movimento de inspiração católica Manif pour tous (Manifestação para todos, em tradução livre). O nome é uma referência à lei em defesa do Mariage pour tous (Casamento para todos), que autoriza o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A lei defendida pela ex-ministra da Justiça, Christiane Taubira, foi aprovada pelo parlamento francês em 17 de maio de 2013, após intensos protestos e mobilizações dos movimentos pró e contra a lei entre 2012 e 2013.

No início, o movimento foi criado para contestar a lei sobre a união gay, mas com a adaptação da sociedade à introdução da lei, a mobilização perdeu força. No entanto, com a aproximação da eleição presidencial de 2017, o movimento se animou e voltou às ruas com um arco de reivindicações ampliado em defesa da família e da filiação.

Os novos alvos visados pelos manifestantes incluem as leis que garantem a procriação assistida para casais formados por lésbicas e a gestação com ajuda de terceiros (barriga de aluguel).

Em campanha

A presidente do Movimento, Ludovine de La Rochère, confirma que o objetivo é entrar na campanha eleitoral e pressionar os futuros candidatos a revogar a lei do casamento gay e se comprometer a defender a família tradicional.

Grupos pró-homossexuais também se posicionaram no local de chegada do desfile para também mostrar sua mobilização em defesa de seus direitos. De acordo com a polícia, seis militantes do grupo feminista Femen foram detidas no momento em que exibiam os seios nus à margem do desfile.

O movimento Manif pour tous integra um grupo que lançou um abaixo-assinado no início de abril para que a União Europeia inscreva na legislação do bloco o caráter heterossexual do casamento. A iniciativa, denominada "Mum, dad and kids" (Mãe, pai e filhos) define o casamento como a "união estável entre um homem e uma mulher" e a família como "fundada no casamento e/ou na descendência".
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.