Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/05 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/05 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/05 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/05 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/05 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/05 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/05 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 21/05 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Salão do Automóvel de Paris: jornais anunciam nova era dos carros conectados

media Modelo da Mercedes EQ elétrico, apresentado no Salão do Automóvel de Paris. REUTERS/Jacky Naegelen

O Salão do Automóvel de Paris, que será aberto ao público neste sábado, é um dos destaques da imprensa francesa nesta sexta-feira (30). O diário econômico Les Echos traz uma entrevista com o presidente do grupo Renault-Nissan, o franco-brasileiro Carlos Ghosn, que declara ter planos de fazer da montadora a número 1 do mundo.

Com as negociações avançadas para a compra da Mitsubishi, o grupo Renault-Nissan irá se posicionar entre os três maiores fabricantes de carros do mundo. A Renault acumula um avanço tecnológico com seus veículos elétricos e aposta nesse novo segmento para continuar ganhando fatias no mercado internacional.

Na entrevista ao Les Echos, Ghosn diz que o diesel, ainda muito utilizado na Europa, tende a desaparecer dos carros de pequeno porte, que serão substituídos pelos elétricos. No salão de Paris, a Renault apresenta os modelos Zoe e Golf elétricos, com uma autonomia ampliada para 300 km.

Carro do futuro será compartilhado

Em seu editorial, o jornal comunista L'Humanité afirma que esta edição do Salão do Automóvel de Paris enterra o carro tradicional. Entre os especialistas, já "não se fala mais em carro, mas, sim, em objeto de mobilidade". Apesar de ano ano passado ainda terem sido vendidos 87 milhões de carros no mundo, observa o L'Humanité, o foco agora são carros inteligentes, compartilhados, ecológicos, autônomos, uma mudança de paradigma.

O jornal de esquerda Libération nota que as evoluções tecnológicas vão eliminar os motoristas dos veículos. "Esse bem, que até agora gerava emoções intensas nas pessoas, como sentimento de poder, de identificação a uma classe social, ciúme, orgulho, raiva, está sendo totalmente repensado para se tornar independente do homem", escreve o jornal. É uma verdadeira revolução, que vai exigir uma adaptação das mentalidades no futuro.

Em um caderno especial de 12 páginas, Le Figaro anuncia a entrada do carro em uma nova era. "A perspectiva de chegada ao mercado de veículos carregados de inteligência artificial ainda é incerta", mas protótipos exibidos no salão de Paris mostram que os carros elétricos e compartilhados reservam um belo futuro para essa indústria.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.