Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Jornal francês denuncia manobra fiscal do Airbnb para pagar menos impostos

media Jornal denuncia o que considera uma "anomalia fiscal" do site AirBNB. Reprodução

O jornal Aujourd’hui en France desta quinta-feira (11) reacende um debate permanente na França nos últimos anos: por que as empresas de internet pagam tão pouco imposto se fazem tanto dinheiro? O diário se refere especificamente ao serviço de aluguel de hospedagem Airbnb.

Segundo o Aujourd’hui en France, o serviço americano, que é líder mundial no seu segmento, tem uma renda anual de € 65 milhões na França, mas em 2015 declarou pouco menos de € 5 milhões, com lucro de apenas € 166 mil. Tendo este valor como base, pagou apenas € 69.168 mil de impostos, o que o jornal considera uma "anomalia fiscal".

Isso acontece porque, mesmo que o aluguel de um quarto ou apartamento seja realizado entre dois franceses, todo o dinheiro circula pela internet e pelas filiais do Airbnb na Irlanda e no Reino Unido.

Em princípio, não há nada de ilegal no procedimento, mas deputados do Partido Socialista ouvidos pelo jornal estimam que a França perca até € 80 bilhões de euros por ano em impostos com este tipo de manobra.

Paraíso fiscal

Com sede no estado americano de Delaware, considerado um “paraíso fiscal” dentro dos Estados Unidos, o Airbnb seria, segundo o jornal francês “um mestre na arte de otimizar o sistema tributário”. Também na Europa, a empresa escolheu um lugar de impostos reduzidos para instalar seus escritórios: a Irlanda, que taxa empresas em apenas 12,5%, o índice mais baixo do continente.

As associações de hotéis de Paris pressionam o governo francês para que investigue o Airbnb, assim como já fez com o Google e o Booking, outro site de hospedagem. O fisco francês teria recuperado cerca de € 356 milhões em impostos somente com o Booking.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.