Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Nível do Sena cai mas risco de tempestade deixa França em alerta

media O rio Sena atingiu um pico de 2,10 na sexta-feira Bertrand GUAY / AFP

Depois das graves enchentes da semana passada, 18 departamentos do nordeste da França ainda estão em estado de alerta laranja, o penúltimo da escala, nesta quarta-feira (8).

Depois das enchentes que deixaram mais de 20 mil franceses com as casas alagadas, o país ainda pode sofrer com as fortes tempestades. Nesta quarta-feira, o governo decretou estado de catástrofe natural em 782 cidades de 17 departamentos. A decisão foi tomada pelo ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, na saída do Conselho de Ministros.

A decisão garante uma rápida indenização aos habitantes dessas cidades pelas seguradoras, que têm até três meses para pagar os clientes. O primeiro-ministro Manuel Valls também anunciou o desbloqueio de um fundo de emergência que permitirá o pagamento de € 500 para cada família atingida.

As enchentes na França, as maiores das últimas décadas, trouxeram prejuízos também para o setor do turismo, que calcula uma perda de cerca de € 10 milhões.

Museus reabrem as portas

O nível do rio Sena, que atingiu 6,10 metros na noite de sexta-feira para sábado, aos poucos está voltando ao normal. O museu do Louvre, o segundo maior do mundo, e o museu d'Orsay, que tiveram que fechar as portas por conta do risco inundação, voltaram a funcionar normalmente.

Ontem, um idoso morreu afogado no norte da França, elevando para cinco o número de mortes fatais no fenomeno climatico que atinge a França há mais de uma semana. O nivel dos rios, princiaplmente do Sena que corta Paris, volta aos poucos ao normal.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.