Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/10 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 14/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 14/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Mundo

Conheça as tradições do ramadã, o mês sagrado dos muçulmanos

media Palestinos decoram a cidade velha de Jerusalém para o ramadã. REUTERS/ Ammar Awad

O ramadã, mês sagrado dos muçulmanos, começou oficialmente nesta segunda-feira (6) na França e em diversos países. Na França, que abriga a maior comunidade muçulmana da Europa, o anúncio do início da celebração foi feito no domingo pelo Conselho Francês do Culto Muçulmano (CFCM).

No total, em todo o mundo, mais de 1,5 bilhão de fiéis darão início às tradições previstas no Islã, conforme o calendário estabelecido em cada país. Saiba como a data é comemorada:

O que é o ramadã?
O ramadã é o nono mês do calendário islâmico. Para os muçulmanos, a data representa um mês de piedade, sobriedade e caridade. Ele lembra a revelação dos primeiros versos do Corão feita por Alá, o deus dos muçulmanos, ao profeta Maomé. O jejum é um dos cinco pilares do Islã. Os outros são a shahadah (declaração de fé), a salat (as cinco orações diárias), a zakat (a esmola) e o hajj (a peregrinação a Meca).

Quando acontece?
O início do ramadã depende do início do ciclo da lua crescente no calendário islâmico e dura dura 29 ou 30 dias. Neste ano, o ciclo começa na noite desta segunda-feira, o primeiro dia do mês sagrado no ano 1437 da Hégira, o calendário muçulmano, que tem entre 354 e 355 dias. O calendário muçulmano tem onze dias sagrados a menos que o calendário solar. Por isso, as datas de início e fim do mês sagrado variam todos os anos.

Como funciona?
Durante o período os fiéis se abstêm de comer, beber, fumar e manter relações sexuais do amanhecer ao pôr do sol. O jejum é considerado como um esforço espiritual e uma luta contra os prazeres terrestres. No entanto, todas as noites do ramadã são tradicionalmente marcadas pelas iftar, as grandes festas de família, comemoradas com muita fartura e um intenso calendário social. O fim do mês é marcado pelo Aid el-Fitr, a maior celebração do ramadã.

Quem celebra o ramadã?
O engajamento ao jejum é imposto a todos os fiéis muçulmanos depois da entrada na puberdade. As crianças são dispensadas de participar, mas aconselha-se que elas sejam iniciadas aos rituais progressivamente. Mulheres grávidas ou que estão amamentando, doentes, viajantes, idosos e combatentes são dispensados. Quem fica isento do jejum por um determinado período do ramadã pode realizá-lo dias mais tarde. Caso, por motivos de saúde, o muçulmano não possa fazer o jejum, ele pode substituí-lo alimentando pessoas necessitadas.

O jejum pode resultar em problemas de saúde?
Os muçulmanos não deixam de se alimentar durante um mês inteiro. A proibição de ingerir comida e água se limita ao dia. Em períodos de calor ou durante o verão, quando os dias são mais longos, o jejum torna-se um pouco mais difícil. Deve ser o caso do ramadã de 2016 na maioria dos países muçulmanos. A maioria dos cientistas concorda que o jejum, durante um período limitado, traz benefícios à saúde, mas é necessário se manter hidratado.

Quem são os muçulmanos franceses?
O Islã é a segunda religião da França; o país conta com entre 5 milhões e 6 milhões de seguidores em uma população de 65 milhões de pessoas. O ramadã é um rito maciçamente seguido pelos muçulmanos franceses, e, segundo estudos, teria a adesão de entre 70% e 80% dos fiéis.

Em geral, a prática é aceita pelos franceses não-muçulmanos, mas, nos últimos anos, a data vem sendo marcada pelo debate da utilização do véu islâmico e o crescimento da adesão ao Islã como instrumento de identidade. Neste ano, na região da Loire, no centro-sul da França, o ramadã se inicia com uma polêmica. Gérard Tardy, prefeito da pequena cidade de Lorette, veicula nos painéis luminosos na cidade duas mensagens: "Aviso: o ramadã deve ser vivido sem barulho" e "Aviso: a República tem o rosto descoberto".

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.