Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Prostituição de crianças imigrantes aumenta na França

media Cada vez mais crianças se prostituem nas ruas da França. ACPE

O fato chocou a opinião pública. Um menino de nove anos e meio foi pego se prostituindo em Paris. O novo relatório da Brigada de Menores aponta que o problema está se agravando no país. De três mil a oito mil menores vendem seu corpo atualmente na capital francesa, a maioria vinda da África e dos países do leste europeu.

O fenômeno é recente na França, assim como em outros países europeus, tendo começado no ano 2000. A data coincide com a chegada em massa de crianças e adolescentes do leste da Europa, que têm na prostituição o único meio de sobrevivência diante da discriminação, da miséria e do isolamento.

A maior parte começou a vender o corpo desde cedo, com uma história familiar infeliz e marginal, constata a associação francesa Agir contra a Prostituição das Crianças (Agir contre la Prostitution des Enfants).

De onde vêm ?

As meninas que se prostituem vêm principalmente do leste da Europa, de países como Albânia, Kosovo, Ucrânia, Bulgária, República Checa e Rússia. As africanas são originárias de Serra Leoa, Nigéria, Gana e República dos Camarões. Já os rapazes são romenos, na maioria, assim como marroquinos e argelinos. O estudo aponta que há franceses também, vindos de famílias de imigrantes.

As associações locais observam que há um equilíbrio entre os gêneros. Em Paris, por exemplo, cerca de 400 jovens franceses e o mesmo número de estrangeiros, passam o ano se prostituindo em uma praça conhecida da capital.

Que idade têm e quanto cobram?

A maioria tem entre 15 e 18, mas às vezes encontra-se crianças de somente dez anos, meninos ou meninas. Eles vendem o corpo em um negócio bem organizado por bairro, rua ou praça. Estão sempre bem vestidos e arrumados, mesmo se vivem em locais insalubres. Os cafetões os levam de perua para os locais de trabalho e ficam sempre por perto.

Em geral, as crianças se prostituem na rua, ganhando €20 (cerca de R$80) por uma felação ou €50 (R$200) por uma relação sexual em um carro.

Tráfico humano

Muitos adolescentes fogem das dificuldades econômicas ou políticas de seus países e pedem asilo nas fronteiras. As redes criminosas se organizam em torno do tráfico de humanos e as máfias do leste da Europa, famosas por sua crueldade, dominam um mercado internacioanl do sexo tão lucrativo quanto a droga.

Combate do governo à prostituição infantil

O problema cresceu e tomou uma dimensão tal que o governo francês está prestes a anunciar medidas inéditas para estancar a exploração sexual de menores. A ideia é punir diretamente os clientes através do código penal: aumentar de 15 para 18 anos a idade dos adolescentes com quem é proibido ter relações físicas. A pena é de 10 anos de prisão e €200.000 (R$800.000) de multa. Um contexto desencorajador para os que procuram jovens para transar em troca de dinheiro.

Para o governo, esta mudança do código vai impedir que os clientes argumentem que não sabiam que os "profissionais" eram menores de idade. O mesmo vale para o chamado turismo sexual.

O fenômeno da prostituição infantil e adolescente é registrado em Paris e diversas cidades francesas.

 

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.