Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 23/10 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 23/10 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 23/10 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 23/10 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 23/10 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 23/10 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 22/10 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 22/10 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Dez museus em Paris que você não pode deixar de visitar

media Flickr/ Creative Commons

Paris tem 130 museus. Diante de tanta escolha, é normal que você queira saber quais deles são realmente imperdíveis. Veja aqui a nossa seleção, conheça histórias pitorescas e tenha acesso a todas as informações práticas como os dias em que estão fechados, se têm visitas noturnas ou que transportes usar para chegar.

1 - Musée du Louvre – É o mais frequentado e um dos mais famosos do mundo, abrigando obras-primas famosas como Monalisa,Vênus de Milo, O Escriba Sentado e A Vitória de Samotrácia, só para as mais conhecidas. Entre as 35 mil peças de sua coleção estão antiguidades egípcias, greco-romanas e estruscas, esculturas da Idade Média, Renascimento e modernas, todas as escolas de pintura europeias do século XVIII a 1848, além de uma galeria de objetos decorativos e artísticos, e artes gráficas.

O Museu do Louvre recebe mais de 9 milhões de visitantes por ano. Wikipedia

Construído como fortaleza em torno de 1190, tornou-se residência real no século XIV. Foi em 1793 que a imensa construção passou a ser um museu. Uma das grandes polêmicas que envolveram o Louvre foi a construção da pirâmide de vidro e metal na Cour Napoléon, rodeada de duas pirâmides menores, para servir de entrada principal. A obra do arquiteto sino-americano Ieoh Ming Pei foi inaugurada em 1989, encomendada pelo então presidente François Mitterrand. Para os críticos ao projeto, o estilo futurista da pirâmide não combinava com a construção clássica do museu, mas hoje não se fala mais nisso. A pirâmide se tornou o terceiro monumento mais visitado do Louvre, depois da Monalisa e da Vênus de Milo!

Horários: aberto de 9h até 18h. Noturno até 21.45h nas quartas e sextas. O Louvre fecha todas as terças e nos dias 1° de maio, 14 de julho, 25 dezembro e 1° de janeiro. Preço para visitar, fora as exposições temporárias: 12 euros. Grátis no primeiro domingo de cada mês. Outras informações práticas no site do museu.

Endereço: Rue de Rivoli, 75004 Paris.

2 - Musée D'Orsay - Foi inaugurado em 1986, reunindo a riqueza e a diversidade dos artistas ocidentais de 1848 a 1914. Seu acervo é formado por coleções que vieram do Louvre, do Jeu de Paume ( que se dedicava ao impressionismo e agora é voltado para a fotografia moderna, pós-moderna e a arte digital) e do Museu de Arte Moderna, que fica no Centro Georges Pompidou. Visitar o Orsay é uma oportunidade imperdível para descobrir quadros míticos como A Origem do Mundo, de Gustave Courbet, Mulheres de Taiti na praia, de Paul Gauguin ou o auto-retrado de Vincent Van Gogh.

O Musée d'Orsay tem uma história incrível. Antes de se tornar um dos museus mais bonitos da cidade, era uma estação ferroviária que fazia a rota Paris-Orleãs. Da beira do Rio Sena podemos ver,do lado de fora do edifício, os nomes das cidades onde os trens paravam como Bordeaux, Toulouse e Nantes.

Horários: aberto de 9.30h até 18h. Noturno até 21.45h nas quintas. Fecha nas segundas, 1° de maio e 25 de dezembro. Preço para o acervo e exposições temporárias: 11 euros. Grátis no primeiro domingo do mês. Mais informações práticas no site do museu.

Endereço: 1 rue de la Légion d’Honneur 75007 Paris.

 3 - Musée du Grand Palais - É um dos prédios históricos mais impressionantes de Paris, reconstruído especialmente para a Exposição Universal de 1900, no lugar do antigo Palácio da Indústria. Seu estilo equilibra com harmonia o barroco e o clássico, combinando aço, pedra e vidro. O destaque é sua cúpula de vidro de 45 metros de altura. Sem acervo permanente, o Grand Palais organiza mostras temporárias, eventos, desfiles de moda e concertos, da música clássica à eletrônica. As exposições já atraíram 2,5 milhões de visitantes. Só para citar algumas, por ali passaram retrospectivas de Hokusai, Jean-Paul Gaultier, Niki de Saint-Phalle e Picasso.

Fachada do Musée du Grand Palais tem esculturas monumentais. Flickr/ Creative Commons

A história do Grand Palais tem muitas curiosidades. No começo da I Guerra Mundial foi usado como caserna para as tropas coloniais que iam partir para o front. Já na II Guerra, os nazistas guardavam em seus grandes espaços os veículos militares e até um circo com animais foi montado sob a cúpula de vidro.

Fica em frente ao Musée du Petit Palais, outra joia de arquitetura, que atrai os visitantes por suas exposições e sua coleção permanente da Antiguidade grega até 1918.

Horários: aberto de 10h às 20h nas segundas e domingos. Noturno de quarta a sábado, de 10h às 22h. Fecha todas as terças. Preço: 11 euros. Grátis para menores de 13 anos. Mais informações práticas no site do museu.

Endereço: Avenue Winston Churchill 75008 Paris

4 - Centro Georges Pompidou - Conhecido também como Beaubourg, o Centro Pompidou é um choque visual na paisagem parisiense. No meio dos velhos prédios, sua imensa estrutura de metal e tubulações, com escadas rolantes externas, cores vermelhas e transparências, acabou causando polêmica nos anos 70, quando foi inaugurado. Os puristas chegaram a compará-lo com uma refinaria de petróleo!

Centro Georges Pompidou, em Paris. Flickr/ Creative Commons

É um grande complexo cultural criado pelos arquitetos Renzo Piano e Richard Rogers. Tem biblioteca, teatros, cinema, e dois de seus andares são ocupados pelo Musée National d'Art Moderne, que abriga uma das maiores coleções de arte moderna e contemporânea do mundo. Picasso, Matisse, Baltus, Francis Bancon e Andy Warhol são alguns dos nomes entre as 100 mil obras do Centro, que também incorporou um espaço mágico: o ateliê do escultor romeno Constantin Brancusi, ao lado da entrada principal, foi totalmente reconstituído e pode ser visitado gratuitamente.

Horários: aberto de quarta à segunda-feira, das 11h às 20h. Quinta-feira até 23h, apenas para as exposições temporárias no 6° andar. Fechado às terças e no dia 1° de maio. O Ateliê Brancusi abre todos os dias de 14h às 18h. Preço para acervo e exposições temporárias: 14 euros. Grátis para menores de 26 anos. Mais informações no site.

Endereço: Place Georges Pompidou  75004 Paris

5 - Musée Rodin - Foi o próprio escultor Auguste Rodin que doou ao Estado francês o seu acervo: mais de 300 obras, expostas em um belo palacete, o Hôtel Biron. O mais interessante é que ali temos a impressão de visitar  dois museus: o primeiro, dentro do charmoso prédio, onde estão O Beijo, A Catedral  e O Homem que Anda; e o outro, do lado de fora, no chamado  Jardim das Esculturas. É ali, entre flores e árvores, que encontramos o famoso O Pensador, A Porta do Inferno, Os Burgueses de Calais ou o Monumento a Balzac.

Museu Rodin - O Pensador Flickr/ Creative Commons

O museu também tem esculturas de uma outra artista, Camille Claudel, aluna e amante de Rodin, que era casado. Eles viveram uma paixão tumultuosa e Camille, frágil e ofuscada pelo talento de seu mestre, acabou num hospício. A Onda e A Valsa são alguns de seus trabalhos mais bonitos.

Horários: De terça-feira a domingo, das 10h às 17.45h. Noturno às quartas, até 20.45h. Fechado às segundas e nos dias 1° de janeiro, 1° de maio e 25 de dezembro. Mais informações no site do museu. Preço: entre 6 e 10 euros. Grátis no primeiro domingo do mês.

Endereço: 77 rue de Varenne, 75007 Paris

6 - Musée du Quai Branly - Inaugurado em 2006, o museu tem exposições permanentes e também explora o conceito de mostras temporárias antropológicas, que duram seis meses.É lá que as culturas da Ásia, África e Oceania dialogam em uma coleção riquíssima de 450 mil objetos: relíquias de vodus africanos, objetos rituais e estátuas do budismo do sul da Ásia e do chamanismo da Sibéria; obras sobre mitos e viagens iniciáticas de povos primitivos, fotografias e documentos sobre tatuagens do Japão e das Ilhas, objetos populares da Índia...Por isso suas exposições despertam muita curiosidade e atraem tanta gente!

Museu Quai Branly

Os famosos jardins verticais do Quai Branly, inventados pelo paisagista francês Patrick Blanc que compõem a fachada do edifício, são uma atração à parte e monopolizam a atenção de quem passa em frente.

Horários: aberto às terças, quartas e domingo, de 11h 0s 19h, e às quintas, sextas e sábados das 11h 0s 21h. Fechado às segundas e nos dias 1° de maio e 25 de dezembro. Preço: 9 euros. Grátis no no primeiro domingo do mês. Outras informações no site do museu.

Endereço: 37 Quai Branly, 75007 Paris

7 - Musée Picasso - No coração do bairro histórico do Marais,fica no Hotel Salé, um dos palacetes barrocos mais bonitos de Paris. Depois de cinco anos de reforma foi reaberto em 2014.

O acervo tem mais de 5.000 obras, fruto da criatividade bulímica de Pablo Picasso. São pinturas, esculturas, gravuras, desenhos de todos os períodos do artista; os milhares de esboços, croquis, cadernos de desenhos, filmes e fotografias fazem a gente compreender o seu processo de criação. Um exemplo: é super interessante ver as fotos que mostram passo a passo como nasceu a obra-prima Guernica, que retrata a cidade basca depois dos bombardeios alemães.

Museu Picasso

A coleção particular de Picasso, formada por seus famosos amigos pintores, está exposta nos últimos andares do museu. Georges Braque, com quem ele fundou o cubismo, Modigliani, Gauguin, Matisse e Miró são alguns deles.

Uma curiosidade: pouca gente sabe que Picasso também fazia poesias de inspiração surrealista. A editora francesa Gallimard publicou um livro depois de sua morte, chamado Picasso.Escritos, em 1989.

Horários: Aberto de terça a sexta das 11.30h às 18h; aos sábados, domingos e feriados das 9.30h às 18H. Fechado às segundas e nos dias 24 e 31 de dezembro. Preço: 12,50 euros. Grátis no primeiro domingo do mês. Mais informações no site do museu.

Endereço: 5 Rue de Thorigny, 75003 Paris

8 - Palais de Tokyo - Ao ser criado em 2002 para "sacudir" os códigos da arte bem comportada, foi definido como o anti-museu, tornando-se reduto de exposições e expressões contemporâneas ousadas. Esse lado underground, com uma boa dose de informalidade, ultrapassou as fronteiras francesas e hoje o Palais de Tokyo é considerado um dos mais importantes promotores da arte contemporânea na Europa.

Museu Palais de Tokyo

Pinturas, instalações, vídeos, colagens, dança, moda, espetáculos, cinema, todas as formas de criação têm espaço e liberdade para existir, em exposições longas ou efêmeras, como é de se esperar de um lugar assim.

As exposições A Aventura dos Detalhes, de Jean-Michel Alberola, The Light of the Light, de Florian e Michal Quistrebert e Not Not Knocking in the Heaven's Door, de Simon Evans, abrem a temporada de 2016.

Horários: do meio-dia à meia-noite, todos os dias exceto às terças-feiras. Fechado nos dias 1° de janeiro, 1° de maio e 25 de dezembro. Mais informações no site do museu.

Endereço: 13, avenue du Président Wilson, 75 116 Paris

9 - Musée de l'Orangerie - Consagrado aos impressionistas e pós-impressionistas, o museu fica dentro do Jardin des Tuileries. Foi esse prédio, criado inicialmente para guardar as laranjas colhidas no imenso jardim e pomar, que o pintor Claude Monet escolheu para instalar a sua obra mítica, os painéis Les Nymphéas, que doou ao Estado francês. Uma sala especial abriga as pinturas monumentais de flores sobre a água, reflexos e nuvens, colocadas depois que Monet morreu.

Museu de L'Orangerie

Telas de Renoir, Gauguin, Matisse, Cézanne, Modigliani, entre outros mestres, estão expostas ao lado da única pintora mulher, Marie Laurencin, presente com três telas, entre as quais, um retrato da estilista Coco Chanel.

Orangerie- Nymphéas Flickr/ Creative Commons

Horários: Aberto todos os dias, menos às terças,das 9h às 18h. Fechado no dia 1° de maio, na parte da manhã de 14 de julho e em 25 de dezembro. Preço: 9 euros. Grátis no primeiro domingo do mês e para europeus ou residentes na Europa com menos de 26 anos. Mais informações no site do museu.

Endereço: Jardin de Tuileries (do lado do rio Sena) 75001 Paris

10 - Musée Carnavalet - Ideal para quem quer entender a história de Paris e seus habitantes desde os tempos pré-históricos até hoje, o Carnavalet é formado por dois palacetes no coração do bairro do Marais, com cerca de cem salas e um lindo jardim. Desenhos, esculturas, pinturas e mobiliário contam a história da capital.

O ponto forte do museu é o chamado Gabinete de Curiosidades, onde milhares de fotografias testemunham como a cidade evoluiu e se transformou, através de imagens clicadas por desconhecidos e por artistas de renome como Cartier-Bresson e Robert Doisneau. A foto mais antiga, uma raridade, foi feita em 1842 pelo francês Jules Ithier.

Flickr/ Creative Commons

O Musée Carnavalet também foi a residência de uma aristocrata, Madame de Sevigné. Ela  ficou famosa depois de morrer, pelo estilo elegante e irônico de sua escrita, quando foram publicadas mais de mil cartas que havia escrito à sua filha e aos seus amigos.

O Musée Carnavalet está fechado para obras de renovação até o fim de 2019.

Mais informações no site do museu.

Endereço:16, rue des Francs-Bourgeois 75003 Paris


Veja neste mapa onde ficam os museus:

Os Dez Museus de Paris

Você conhece o Paris Museum pass?

Com esse passe você pode visitar 60 museus e monumentos em Paris e arredores, sem fazer fila (o que é muito importante quando se está fazendo turismo e o tempo é pouco!). Há três tarifas, para 2, 4 e 6 dias. Veja aqui todas as informações sobre preços e a lista das atrações incluídas no passe.

 

 

 
O tempo de conexão expirou.