Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Dois brasileiros feridos nos atentados em Paris não correm risco de morte

media A fachada do restaurante Le Petit Cambodge na manhã deste sábado RFI/Daniel Finnan

Os dois brasileiros  - um homem e uma mulher - que ficaram feridos nos atentados da noite de sexta-feira (13), em Paris, "não correm risco de morte", segundo a cônsul-geral do Brasil na França, Maria Edileuza Fontenele Reis, em entrevista à RFI. Após falar com a reportagem, ela seguiu para os dois hospitais onde eles estão internados para ter mais informações.

"Até agora só tive notícias das pessoas que estão acompanhando os feridos. Quero conversar diretamente com a equipe médica", disse.

Os dois brasileiros estavam no restaurante Le Petit Cambodge, nas proximidades do Canal Saint-Martin, no 10° distrito da capital, um dos locais onde ocorreram os tiroteios.

O homem levou três tiros nas costas, e seu estado foi considerado grave no momento. Ele é um arquiteto que está de passagem por Paris para eventos profissionais.

Ele jantava com amigos no Le Petit Cambodge, onde uma estudante brasileira também ficou ferida. Ela tomou um tiro de raspão e está consciente. Segundo informações iniciais, a estudante residiria em Paris.

Recomendações aos brasileiros

Maria Edileuza também deu recomendações para os brasileiros que estão em Paris e para os turistas. "Para quem está aqui, a primeira orientação é entrar em contato com os familiares para tranquilizá-los. A falta de notícias faz com que os parentes fiquem muito angustiados e nos peçam notícias, e não temos meios de contato com todos", afirmou.

O segundo conselho da cônsul-geral é que as pessoas evitem ao máximo circular pela cidade, principalmente por lugares com grandes aglomerações. "Essa é uma recomendação do próprio governo francês."

Segundo Maria Edileuza, os brasileiros têm procurado o consulado para perguntar se os voos para o Brasil estão suspensos. "Sobre isso, não temos nenhuma informação do governo francês sobre suspensão de voos. Quem tiver passagem comprada para o Brasil deve entrar em contato com a companhia aérea para confirmar o voo."

Para quem pretende viajar à França, ela diz que não há nenhuma recomendação oficial para não vir ao país. "Porém o estado de emergência decretado ontem à noite implica no estreitamento dos controles de entrada e de saída no território francês. Os processos migratórios, as revistas... Tudo o que diz respeito à segurança será muito reforçado", disse.

Ela alerta também para o fato de que os pontos turísticos, inclusive a emblemática Torre Eiffel, estão fechados. "Vários shows foram cancelados, e os museus não abriram as portas. Cada um deve avaliar se quer ou não vir."

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.