Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 25/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 25/04 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 25/04 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 25/04 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 25/04 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 25/04 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/04 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Jean-Marie Le Pen contesta suspensão do partido na justiça

media Jean-Marie Le Pen exerce mandato de deputado no Parlamento Europeu. REUTERS/Vincent Kessler

O líder histórico da extrema-direita francesa, Jean-Marie Le Pen, anunciou nesta terça-feira (2) que acionou a justiça para "contestar sua exclusão" da Frente Nacional (FN) desejada por sua filha, Marine, após suas declarações incendiárias.

"Eu contesto a minha exclusão como membro do partido e, portanto, a interpretação extensiva do estatuto que me priva da presidência de honra", disse o líder de 86 anos. Le Pen indicou ter acionado a sigla no Tribunal de Nanterre, na região oeste de Paris, onde está localizada a sede da Frente Nacional. Segundo ele, a primeira audiência deverá ocorrer em 12 de junho.

Jean-Marie Le Pen cofundou a Frente Nacional em 1972 e dirigiu o partido por quase 40 anos antes de entregar as rédeas para sua filha Marine, em 2011. Desde que assumiu o controle, ela tenta se livrar da imagem racista e antissemita do partido para conquistar o poder. Marine deseja concorrer às eleições presidenciais de 2017 e é apontada pelas pesquisas como vitoriosa no primeiro turno, frente a adversários como o ex-presidente Nicolas Sarkozy, o presidente François Hollande ou o primeiro-ministro Manuel Valls.

Declarações incendiárias

A gota d'água para a ruptura do pai com a filha foi uma entrevista do veterano ao jornal de extrema-direita Rivarol. Na ocasião, ele criticou a estratégia política da filha, defendeu o ex-marechal Pétain − chefe do regime de Vichy, que colaborou com a Alemanha nazista −, desdenhou a democracia e ainda fez um apelo para salvar "os brancos". Segundo Le Pen, as câmaras de gás em que milhares de judeus foram dizimados nos campos de concentração nazistas são "um detalhe da história". Le Pen tem horror a estrangeiros e se refere ao primeiro-ministro Manuel Valls, filho de pai espanhol e mãe suíça, naturalizado francês em 1982, de "imigrante Valls".

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.