Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Chefs franceses no Brasil participam da festa mundial da gastronomia "Goût de France"

Chefs franceses no Brasil participam da festa mundial da gastronomia
 
Pierre Monetta

Mil e trezentos chefs, mil menus, 150 países de cinco continentes... Estes são os principais ingredientes da grande festa da gastronomia francesa "Goût de France- Good France", que acontece em 19 de março. Um jantar seguindo os rituais franceses será servido neste dia  nos quatro cantos do planeta. No Rio de Janeiro e em São Paulo, famosos chefs franceses "botam a mão na massa" com propostas que casam os ingredientes tradicionais da França com os regionais brasileiros.

Goût de France-Good France  é, antes de tudo, uma grande festa em homenagem à arte culinária francesa.

A ideia é que, na mesma noite, no mundo todo, chefs de todos os horizontes e culturas, franceses e estrangeiros, celebrem a excelência da cozinha francesa, seguindo passo a passo as exigências de preparo e serviço de um jantar.

Na França, seis nomes famosos entraram no jogo: Paul Bocuse, de Lyon, Joël Robuchon, Stéphanie Le Quellec, Guy Savoy e Thierry Marx, de Paris, e Anne Sophie Pic, de Valence.

No Brasil, os famosos chefs Laurent Suaudeau, e Claude e Thomas Troigros, prepararam menus deliciosos para a grande noite, inspirados na fusão de ingredientes franco-brasileiros e fiéis aos rituais "sagrados" da cuisine française: entrada fria, entrada quente, peixe, carne, queijo e sobremesa.

Laurent descobriu no Brasil produtos que não conhecia na infância

O chef francês Laurent Suaudeau, dono do Restaurant Laurent, em São Paulo. DR/Laurent Suaudeau

Laurent Suaudeau, dono do Restaurant  Laurent, em São Paulo, acha que a iniciativa é muito boa porque, além do serviço e da comida como um todo, "mostra como os chefs do mundo inteiro têm um olhar carinhoso para a gastronomia francesa e o que ela representa como instituição que, querendo ou não, ajudou muitas cozinhas locais a se desenvolverem, através dos seus chefs.  Acho que isso é muito importante e certamente os países que responderam fortemente a essa manifestação sentem o respeito por tudo o que a gastronomia francesa trouxe a muitos deles, em termos pessoais e profissionais.

Laurent conta que quando chegou ao Brasil, há mais de trinta anos, encontrou um país mais fechado e teve que correr atrás de produtos existentes para tentar incorporá-los à linguagem da gastronomia francesa. "A fusão é inspiradora a partir do momento que você encontra produtos que não conhecia na infância. No meu caso, que cresci na França, me deparei com mandioquinha, quiabo, queixada, peixe surubinha, tucunaré, peixes da água do Atlântico Sul que são  diferentes dos do Atlântico Norte, isso tudo é um incentivo. Isso nos aproxima do pequeno produtor, do pescador, enfim, a cozinha é uma inspiração. A partir do momento que você acorda e gosta de cozinhar, tem que se inspirar e trabalhar com os produtos locais é uma fronteira que temos que atingir", diz Laurent.

Cardápio preparado no Restaurant Laurent, em São Paulo, para Goût de France:

Primeira entrada: Gougère e bombom de foie gras com licor de jabuticaba

Segunda entrada: Melão e figo gelado ao vinho de Porto branco com pão tostado ao foie gras

Primeiro prato: Lagostina  

Segundo prato: Peixe com molho de vinho branco com caramelo e champignon

Terceiro prato: Filé mignon de queixada com batata doce assada no forno e refogada no caldo de frango

Sobremesa: Maçã caramelizada com sorvete de Calvados

Troisgros: arte culinária de pai francês para filho brasileiro

O chef Claude Troisgros, proprietário do restaurante Olympe, no Rio de Janeiro, chegou no Brasil há 35 anos e

Thomas (à esq.) e Claude Troisgros, duas gerações dedicadas à gastronomia francesa. Alexander Landau

está vivendo com emoção a experiência desta noite dedicada à gastronomia francesa.

Considerado um dos pais da fusão entre as receitas da França e do Brasil, o chef elogia o avanço do seu país de adoção: "Quando cheguei, em 1979, encontrei um Brasil muito tímido em termos de cozinha regional; havia uma cozinha tipicamente brasileira, como a baiana ou como a feijoada, mas não tinha uma cozinha moderna, valorizando os produtos do Brasil. E foi isso que eu fiz, incorporei produtos frescos do mercado como batata, maxixe, quiabo e maracujá  à cozinha de técnica francesa", afirma Troisgros, ressaltando que "quando acontece um evento desses eu fico muito feliz porque vemos que o Brasil cresceu, começou a valorizar seus produtores, sua culinária, com chefs competentes brasileiros no mercado, que fazem uma cozinha maravilhosa, moderna, que tem a sua raiz. Isso é muito importante e é isso que vai acontecer nesta quinta-feira no Brasil, uma fusão entre a França e o Brasil, é maravilhoso isso!".

Claude tem um filho nascido no Brasil, Thomas Troisgros, que seguiu os seus passos no mundo da gastronomia.

Claude elaborou com seu filho Thomas o cardápio da festa gastronômica desta quinta-feira:

Primeira entrada: Sorvete salgado de shitake com carpaccio de cogumelos de Paris e crumble de parmesão

Segundo prato: Ravioli gigante recheado de batata baroa

Terceiro prato: Cavaquinha com baunilha da Bahia e chuchu assado no forno

Quarto prato: Magret de canard com maracujá e foie gras

Queijo típico da região de Saint-Marcelin, fabricado no sul do Brasil, servido com goiabada

Sobremesa: Torta de chocolate brasileiro, produzido na Bahia, com sorvete de côco

Diversidade

A mistura de ingredientes de países diferentes marca a universalidade da gastronomia e a abertura dos chefs franceses a adaptar e integrar elementos regionais em seus pratos tradicionais.

O rendez-vous deste "Goût de France-Good France 2015" espelha essa globalização. Bon appétit a todos!

 

 

 


Sobre o mesmo assunto

  • Fato em Foco

    Cozinha mineira é homenageada no maior evento de gastronomia do mundo

    Saiba mais

  • França

    Chef brasileira estreia programa de gastronomia na TV francesa

    Saiba mais

  • Cultura

    Mostra em Paris destaca obra de artista japonês aliada à gastronomia

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.