Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 14/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 14/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Onda de frio na França mata cinco sem-teto

media Onda de frio mata cinco sem-teto e preocupa o governo francês AFP/Thomas Coex

A onda de frio que tomou conta da França, com temperaturas negativas desde o último fim de semana, já matou cinco moradores de rua. Dois homens morreram na manhã desta terça-feira (30) em um imóvel abandonado, a 30 km de Paris. Eles tinham feito uma fogueira para se aquecer e foram vítimas de um incêndio.

A prefeitura de Paris confirmou nesta terça-feira a morte, no domingo, de um sem-teto na zona leste da capital. A vítima era um homem de 50 anos, encontrado em estado de hipotermia, com a temperatura do corpo abaixo do normal. Agentes do Samu tentaram reanimá-lo, mas o sem-teto sofreu uma parada cardíaca e morreu durante o atendimento.

No sábado, um homem de 29 anos foi encontrado agonizando dentro de uma escola na localidade de Douai, no norte da França, onde tinha se refugiado do frio. Transportado para o hospital, ele morreu poucas horas depois.

Morte na Riviera Francesa

A terceira vítima fatal das temperaturas glaciais na França é um cidadão belga de 46 anos. Ele dormia dentro de uma barraca perto de Nice, na Riviera Francesa, e foi encontrado com alta taxa de álcool no sangue e estado de hipotermia.

Associações humanitárias e serviços sociais do Estado intensificaram as rondas nos últimos dias para orientar os sem-teto a dormir nos albergues municipais. Em pelo menos dois casos, agentes do serviço social tinham se aproximado das vítimas para oferecer acomodação de emergência. Mas as ofertas foram recusadas.

Com temperaturas negativas de até 7 graus Celsius, o governo francês abriu leitos adicionais para receber os sem-teto, mas muitas pessoas preferem ficar na rua. Eles temem a violência e os roubos frequentes nos albergues.

 
O tempo de conexão expirou.