Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Louvre, Versalhes e Museu d’Orsay vão abrir sete dias por semana

media O Museu do Louvre em Paris é um dos mais visitados do mundo (Divulgação)

O museu do Louvre, o Palácio de Versalhes e o Museu d’Orsay, em Paris, vão abrir suas portas ao público sete dias por semana, segundo o Ministério da Cultura francês. A medida deverá entrar em vigor no máximo em três anos, apesar das críticas feitas pelos sindicatos, que denunciam “a falta de diálogo social”.

De acordo com projeto apresentado pelo ministério, a abertura dos três museus nacionais mais frequentados do país "melhorará o atendimento ao público e o acesso às obras." A CGT, um dos principais sindicatos franceses, criticou a decisão do governo. "A ideia é ganhar mais dinheiro sem preocupação com a qualidade das visitas", disse o representante Christian Galani.

Segundo ele, apenas 85% dos salões do Louvre estão abertos ao público atualmente. Caso o museu abra sete dias por semana, algumas salas serão fechadas para adaptar a capacidade de visitantes ao número de funcionários. Mesmo em tempos de cortes de gastos, o governo pretende abrir novas vagas para garantir o bom funcionamento. Para o sindicalista francês Frédéric Sorbier, a "única prioridade do governo é o atendimento dos turistas."

Os representantes dos assalariados do palácio de Versalhes também criticam a decisão. "Seremos obrigados a limpar tudo durante a noite. Isso custará mais caro, porque teremos que pagar o adicional noturno", divulgou em uma nota o sindicato CFDT (Confederação Francesa Democrática do Trabalho).

Filmagens podem ser afetadas

Os sindicatos lembram que a abertura do palácio de Versalhes sem interrupção também prejudicará as produtoras que alugam o local para filmagens de longa-metragens – uma fonte de renda importante para os cofres do museu. O governo alega que as receitas extras geradas pelos turistas resultará em “um saldo econômico positivo”. Paris é uma das únicas cidades europeias onde os museus não funcionam sete dias por semana.

Atualmente, os três estabelecimentos fecham na segunda ou terça-feira. Só o Museu do Louvre recebe mais de 9,2 milhões de visitantes por ano – um recorde mundial. O palácio de Versalhes recebe 7 milhões de pessoas e o Museu d’Orsay, 3,5 milhões. Em 2013, mais de 73 milhões de turistas visitaram os 53 museus e monumentos da capital.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.