Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/07 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Presidente francês rebate críticas feitas pela ex-companheira em livro

media Capa da resvista Nouvel Observateur nouvelobs.com

Em entrevista à revista francesa Nouvel Observateur, que chega às bancas nesta quinta-feira (11), o presidente francês, François Hollande, reagiu às críticas feitas pela sua ex-companheira, Valérie Trierweiler no livro "Merci pour ce moment" (Obrigada por este momento). A obra conta os bastidores de sua relação com o presidente e já é uma das mais vendidas na França.

Em um dos trechos mais polêmicos do livro, Valérie Trierweiler conta que Hollande despreza os pobres e os chama de “sem-dentes”, uma revelação que comprometeu ainda mais a popularidade do chefe de Estado francês, a mais baixa da história recente da França. "É uma mentira que me magoou muito, um ataque a tudo o que fiz até hoje, já que dediquei minha vida a ajudar os outros."

Até agora, o presidente tinha evitado dar declarações sobre o livro. “Esta afirmação sobre os pobres e mais humildes me atingiu profundamente, porque é um ataque à minha própria vida. Durante toda minha vida pública, só pensei em ajudar e representar aqueles que sofrem. Nunca estive do lado dos poderosos, mesmo que eu não seja inimigo deles. Mas sei de onde vim”, disse Hollande.

Ele lembrou de suas origens humildes: seu avô materno, alfaiate, vivia com sua família em um apartamento de um quarto em Paris. O avô paterno era professor, originário de uma família pobre do norte da França. “Como eu poderia desprezar o meio de onde vim, minhas raízes, minha razão de viver?”, lembrou o chefe de Estado.

Pobres são prioridade, diz presidente francês

O presidente francês insistiu que os pobres são sua prioridade. “Eu encontrei pessoas que enfrentam as piores dificuldades, sem condições de cuidar dos dentes. Este é um dos piores símbolos da miséria. E essas pessoas eu ajudei e apoei”, disse o socialista à revista Nouvel Observateur.

Hollande admitiu que não vive um momento “agradável”, mas que “não vai chorar diantes dos franceses, que esperam por resultados". O presidente lembrou que seus problemas pessoais não interessam à população. Ao mesmo tempo, ele diz ter direito “ de não querer que alguém minta ou desrespeite dor social”.

O presidente já havia feito um comentário sobre o livro de sua ex-companheira durante a cúpula da Otan em Newport, na Grã-Bretanha, dizendo que “não aceitaria que o compromisso de sua vida fosse questionado”.

Mais de 145 mil exemplares vendidos

“Merci pour ce moment” é um sucesso editorial. Desde seu lançamento, no dia 4 de setembro, já foram vendidos mais de 145 mil exemplares. A maioria dos franceses criticou a publicação da obra, de acordo com duas pesquisas dos institutos CSA e Harris Interactive, publicadas nesta quarta-feira.

Para 56% dos entrevistados, ela não deveria ter escrito o livro. Uma outra sondagem do CSA mostrou que 67% são contrários à decisão da ex-primeira-dama.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.