Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Geral

Franceses têm dia de "pesadelo" com greves de trens e táxis

media Nina NOEL

As greves dos trabalhadores do setor ferroviário francês e dos taxistas parisienses, nesta quarta-feira (11), dominam as manchetes. O diário Aujourd'hui en France fala em um dia de "pesadelo" para os usuários.  

O diário popular explica que a paralisação iniciada ontem à noite pelos trabalhadores do setor ferroviário pode ser longa. Fazia quatro anos que a categoria não fazia greve por tempo indeterminado e com a disposição de enfrentar uma queda de braço dura com o governo.

Segundo Aujourd'hui en France, a maioria dos empregados das duas estatais do setor ferroviário, a SNCF e a RFF, está preocupada com um projeto de reforma do Executivo que prepara o setor à abertura total à concorrência. Os ferroviários também reclamam do plano de pagamento da dívida de 132 bilhões de reais da SNCF. De acordo com os sindicatos, a direção da empresa conta apenas com os esforços de produtividade dos trabalhadores, uma estratégia que pesa sobre a categoria.

Queixas antigas

Para piorar a situação do governo socialista, o Aujourd'hui en France lembra que taxistas e profissionais do setor do espetáculo também estão em greve nesta quarta-feira.

O diário católico La Croix analisa esses três movimentos e afirma que as razões de insatisfação são antigas. No caso do setor ferroviário, existe uma falta de coordenação entre a SNCF, responsável pelo serviço de trens, e a RFF, encarregada da infraestrutura da rede.

No caso dos táxis, escreve a Croix, as regras de abertura à concorrência não são claras e causam prejuízos aos taxistas. Já entre os profissionais da área de espetáculos, a categoria não aceita os cortes feitos pelo governo no seguro-desemprego desses trabalhadores, que têm um sistema de remuneração particular e generoso, com o objetivo de estimular a produção cultural francesa.
 

 
O tempo de conexão expirou.