Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 13/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 13/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 13/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 13/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Mudança no Código Civil francês considera animais "seres sensíveis"

media Os animais agora serão considerados na França como "seres vivos dotados de sensibilidade". http://pixabay.com

A Assembleia Nacional francesa aprovou nesta terça-feira (15) uma mudança no Código Civil francês, considerando os animais como "seres vivos dotados de sensibilidade." Até agora, animais eram vistos no país apenas como "bens móveis."

A modificação na lei foi motivada por uma petição lançada há dois anos por uma Fundação francesa de proteção aos animais, conhecida como "30 Milhões de Amigos." Depois de um longo debate, os deputados franceses votaram a emenda proposta pelo Partido Socialista nesta terça-feira.

A mudança no Código Civil é uma vitória para as associações francesas de defesa dos animais. Segundo o líder do PS na Assembleia, Jean Glavany, atualmente apenas o Código Rural reconhece os animais como "seres sensíveis."

A emenda permitirá, segundo os deputados, "conciliar a lei e o valor afetivo" do animal. O objetivo, diz o texto, é harmonizar os códigos e modernizar o direito. A emenda propõe uma definição jurídica do animal, valorizando leis especiais que os protegem. Mas, apesar do avanço, as associações criticam o fato da lei não criar uma categoria à parte para os animais na legislação.

A Fundação Brigitte Bardot, por exemplo, estima que esta mudança foi uma "simples evolução jurídica", e que "não representa uma revolução." Para a porta-voz da Fundação, o estranho é que essa noção da sensibilidade não tenha sido adotado antes.’’

Segundo ela, o texto não questiona a exploração dos animais, por exemplo. A própria Fundação 30 Milhões de Amigos, que lançou a petição, lamenta que uma categoria à parte não tenha sido criada. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Ifop no fim de outubro, 89% dos franceses são favoráveis à mudança do Código Civil.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.