Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Vacina contra HPV volta a ser alvo de polêmica na França

media 30 milhões de meninas em mais de 40 países devem ser vacinadas até 2020. Joe Raedle/Getty Images/AFP

A vacina Gardasil, usada para prevenir a transmissão do vírus HPV, causador do câncer de colo de útero, é novamente alvo de polêmica na França. Vinte e cinco novas queixas serão adicionadas ao caso até o fim de abril, informou nesta quarta-feira (2) em Paris Jean-Christophe Coubris, advogado da primeira vítima a entrar na justiça após sofrer efeitos colaterais do medicamento em novembro passado. O Gardasil é comercializado pela empresa franco-americana Sanofi Pasteur MSD (Merck).

Camila César, em colaboração para a RFI

De acordo com o advogado, o ponto em comum entre todos os casos é o curto período entre a injeção do medicamento e o aparecimento dos primeiros sintomas. As doenças que foram constatadas com mais frequência foram esclerose múltipla, lúpus, enxaqueca, além de dores musculares e fadiga crônica.

Recentemente, uma petição lançada pela Associação Med’Océan do médico Philippe de Chazournes e assinada por mais de 500 profissionais pediu uma missão parlamentar sobre a vacina. O motivo é a previsão de duplicar dentro de cinco anos o número de adolescentes imunizadas.

Segundo o Sanefi Pasteur MSD, o Gardasil possui uma taxa de eficácia de 97% quando aplicado em meninas que nunca foram infectadas pelo vírus HPV. O médico e diretor-adjunto de assuntos médicos do laboratório, Andre Dahlab, discorda e alega que existem diferentes interpretações sobre o cálculo da eficácia da vacina.

As novas queixas contra o laboratório Sanofi Pasteur e a Agência nacional francesa de medicamentos (ANSM) serão apresentadas ao Pólo de Saúde Pública da Grande Instância de Paris. Os problemas citados são lesões involuntárias, violação da obrigação de segurança e desconhecimento dos princípios de prevenção e precaução por parte do fabricante e do órgão de fiscalização.

Paciente teve inflamação do sistema nervoso

Outra queixa semelhante foi apresentada pelo advogado em novembro de 2013 ao Tribunal de Bobigny, na periferia de Paris. Na época, a adolescente Marie-Océane Bourguignon, de 18 anos, teve uma inflamação do sistema nervoso central após a injeção do Gardasil. Ela tinha sido vacinada aos 15 anos, assim como outras 2,3 milhões de adolescentes na França que são tratadas preventivamente pelo medicamento.

 Campanha de vacinação começou em março no Brasil

No ultimo dia 10 de março, a presidente Dilma Rousseff lançou a Campanha Nacional de Vacinaçao contra o HPV. O Ministério da Saúde investiu R$ 465 milhões na compra de 15 milhões de doses para 2014, quantidade suficiente para imunizar cinco milhões de adolescentes. De acordo com o ministro da Saúde, estima-se que 270 mil mulheres no mundo morrem devido ao câncer de colo do útero. No Brasil, cerca de 4,8 mil mulheres morreram por causa da doença no ano passado.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.