Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Incêndio destrói prédio histórico da prefeitura de La Rochelle

media Objetos de arte da prefeitura de La Rochelle foram salvos. Wikipedia/ Jochen Jahnke

A cidade de La Rochelle, no oeste da França, descobre hoje os estragos provocados por um forte incêndio ocorrido ontem na prefeitura, um imóvel dos séculos 15 e 16. O edifício é classificado monumento histórico da França e foi devastado pelas chamas, causadas por problemas de instalação elétrica, conforme as primeiras perícias no local.

Bombeiros e funcionários municipais entraram hoje no prédio para avaliar as perdas. A prefeitura é considerada uma das mais bonitas da França e se destaca pelo campanário por ser cercada de torres. A parte renascentista, que abriga o Salão de Festas, foi a que mais sofreu estragos - a estrutura do telhado desabou.

O incêndio começou às 14h de sexta-feira (9h em Brasília) e só foi controlado às 5h deste sábado (meia-noite em Brasília). O fogo partiu de uma sala de arquivos do segundo andar.

O prefeito de La Rochelle, Máxime Bono, estima que 70% do imóvel foi danificado, e que pode demorar anos até ser reconstruído. Apesar do desastre, Bono comemorou que “todos os objetos móveis de valor histórico ou artístico” puderam ser salvos e guardados em depósitos dos museus da cidade. Na sexta-feira, uma máscara mortuária do rei Henri 4, obras do século 17 e o primeiro selo da cidade, fabricado em 1199, foram salvos do fogo.

A parte mais recente do prédio, construída no século 19, foi a menos atingida. O prefeito planeja recomeçar as atividades municipais por ali. Os arquivos digitais não foram afetados.

Já a parte Renascença, sem telhado, será coberta tão logo os escombros forem retirados, para preservar o local das chuvas persistentes na região. As obras de restauração serão “caras, longas e minuciosas”, segundo Bono, “mas o prédio estará salvo”, garantiu.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.