Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Galliano vai alegar hoje dependência de álcool na audiência em Paris

media John Galliano na apresentação da coleção primavera-verão 2011 da Dior, em outubro de 2010. Reuters

O ex-estilista britânico da grife Dior John Galliano vai alegar dependência de álcool e de medicamentos em sua defesa, diante do Tribunal Correcional de Paris, nesta quarta-feira. A audiência começa às 15h30m no horário francês, 10h30m no horário de Brasília, e Galliano já anunciou que estará presente.

O estilista é acusado em ação civil por três pessoas - um casal e uma mulher - de ter proferido insultos antissemitas e racistas em duas ocasiões diferentes no mesmo café parisiense que ele frequentava no bairro do Marais.

A gota d'água foi a divulgação de um vídeo no site do jornal britânico The Sun, em fevereiro, em que o estilista aparece insultando as pessoas sentadas na mesa ao lado com um discurso antissemita. Ele diz: "Eu amo Hitler" e a frase dá a volta ao mundo na internet e na imprensa.

Galliano pediu desculpas publicamente, mas a repercussão levou a Maison Dior a demití-lo antes do resultado da ação no Tribunal. O advogado do britânico, Aurélien Hamelle, afirma que seu cliente estava em estado alterado.

"As palavras que ele proferiu não refletem de forma alguma o seu pensamento. Ele não é antissemita nem racista", afirma o advogado, acrescentando que Galliano faz um tratamento contra o alcoolismo e a dependência de remédios e sua situação o impedia até mesmo de refletir sobre seu futuro profissional.

Se for condenado, o estilista pode pegar até 6 meses de prisão e ter que pagar uma multa de 22 mil euros, cerca de 50 mil reais.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.