Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

39 corpos encontrados em um caminhão frigorífico perto de Londres eram de nacionalidade chinesa

media Conteîner onde foi descoberto o corpo dos 39 chineses, em Essex, na Grã-Bretanha REUTERS/Peter Nicholls

Os 39 mortos encontrados em um caminhão frigorífico perto de Londres na madrugada desta quarta-feira (23) eram cidadãos chineses. A informação foi destaque em todos os jornais britânicos desta quinta-feira (24).

A polícia britânica abriu um inquérito para determinar as circunstâncias do drama, que provocou indignação no país e muitos pedidos para fortalecer a luta contra as redes de imigração ilegal. Os coiotes empregam métodos cada vez mais arriscados para driblar os guardas nas fronteiras.

De acordo com a polícia, o contêiner frigorífico chegou às 00h30 de quarta-feira (20h30 de terça no horário de Brasília) em Purfleet, procedente de Zeebrugge, Bélgica, enquanto o caminhão que rebocava o contêiner partiu da Irlanda do Norte.

Duas buscas foram realizadas no país na madrugada desta quinta-feira. O motorista do caminhão, um jovem de 25 anos desta província, está em prisão preventiva. Ele foi detido no âmbito de uma investigação por assassinato. Segundo a imprensa britânica, o motorista é Mo Robinson, morador de Portadown, Irlanda do Norte, no condado de Armagh, onde buscas foram realizadas.

Na quarta-feira, a polícia foi alertada pouco antes das 01h40 pelos serviços de emergência sobre a presença de um caminhão com corpos sem vida em uma área industrial em Grays, Essex, a 20 quilômetros de Londres e perto do porto de Purfleet, no Tamisa. A polícia, auxiliada pela Agência Nacional contra o crime, tenta nesta quinta-feira traçar a rota do caminhão.

Caminhão vinha da Bulgária

O Ministério Público belga, que também abriu uma investigação, confirmou que o contêiner passou na terça-feira (22) por Zeebrugge. “No momento, ainda não se sabe quando as vítimas foram colocadas no contêiner e se isso aconteceu na Bélgica", informou o Ministério. A investigação se concentrará "nos organizadores e em todas as outras pessoas envolvidas neste transporte".

O caminhão foi registrado na Bulgária, confirmou o primeiro-ministro búlgaro Boyko Borissov, em nome de uma empresa com sede na Irlanda do Norte. Mas ele "não entrou mais no país desde 2017. Não há conexão conosco, apenas a placa", disse à televisão local.

Segundo a Agência Nacional contra o Crime (NCA), o número de migrantes que chegam clandestinamente ao Reino Unido em conteîneres e caminhões aumentou nos últimos anos. Em relatórios recentes, a NCA observou "o uso crescente de métodos cada vez mais arriscados", principalmente dos portos de Calais (França) e Zeebrugge ou através do Túnel do Canal da Mancha. Em agosto de 2015, 71 migrantes da Síria, Iraque e Afeganistão a caminho da Europa Ocidental morreram em um caminhão frigorífico na Áustria.

(Com informações da AFP)

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.