Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Salvini proíbe novamente entrada de barco de migrantes em águas italianas

media O navio da ONG Proactiva, Open Arms. REUTERS/Juan Medina/File Photo

O ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, proibiu nesta quarta-feira (7) a entrada em águas italianas do navio "Open Arms", da ONG espanhola Proactiva, que navega há seis dias no Mediterrâneo com 121 migrantes a bordo e cuja presença já foi negada por Malta.

De acordo com o site Vesselfinder, o navio está atualmente em águas internacionais, a sudoeste de Malta, e a leste da ilha italiana de Lampedusa. "Foram seis dias sem resposta, sem reconhecer a dignidade das pessoas a bordo", escreveu a ONG em sua conta no Twitter.

Na terça-feira (6), a organização humanitária também lamentou a rejeição de Valeta: "Malta negou o direito de desembarcar, e a Itália não responde. Nós não nos reconhecemos nesta Europa, em seus Estados covardes, em sua política vazia", acrescentou a ONG.

Salvini diz que barco teria tido tempo de ir à Espanha

Salvini, homem forte do governo, proibiu o navio de entrar em águas territoriais italianas e ameaçou confiscar a embarcação. "O 'Open Arms' está no Mediterrâneo há seis dias e agora ameaça entrar na Itália. Isso teria dado tempo para chegar à Espanha", tuitou o líder da Liga (de direita).

Na noite de segunda-feira (5), o Parlamento italiano aprovou uma nova lei de segurança, que prevê multas de até € 1 milhão para o comandante, ou para proprietários de navios de ONGs que violarem a proibição de entrada nas águas territoriais da Itália.

Esta não é a primeira vez que a Itália recusa a chegada de navios humanitários em suas águas. Em junho, Salvini recusou a entrada do barco de resgate “Lifeline”, que levava a bordo 224 migrantes que tinham sido resgatados junto à Líbia. Poucas semanas antes, o governo italiano recusou a entrada do navio Aquarius, que acabou por seguir para Espanha.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.