Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Justiça russa suspende prisão domiciliar do cineasta Serebrennikov

media Kirill Serebrennikov continuou produzindo filmes e espetáculos apesar da prisão domiciliar em 2017 (Foto de setembro 2017) REUTERS/Maxim Shemetov/File Photo

A justiça russa retirou nesta segunda-feira (8) a ordem de prisão domiciliar do diretor de cinema e teatro Kirill Serebrennikov. Acusado de suposta fraude, ele estava detido em casa há quase dois anos. 

Serebrennikov está sendo julgado por fraude, acusado de supostamente ter desviado 130 milhões de rublos (R$ 7,6) de subsídios públicos destinados a seu teatro em Moscou, graças a um sistema de orçamentos e notas fiscais falsas entre 2011 e 2014. O diretor sempre negou as acusações e sua prisão foi contestada pela comunidade internacional, que via na decisão da Justiça uma forma de censura imposta pelo Kremlin.

Diretor artístico do Centro Gogol, Serebrennikov transformou o local em um verdadeiro pulmão da cultura contemporânea em Moscou. Para seus partidários, ele paga por sua liberdade de criação e por suas obras frequentemente ousadas, que misturam política, sexualidade e religião, em um país onde as autoridades promovem os valores tradicionais e conservadores.

No início do julgamento, em novembro, o promotor o acusou de ter coordenado "um grupo criminoso" com o objetivo de enriquecimento pessoal. Mas o diretor respondeu que trabalha apenas em "processos artísticos e na criação de programas" e declarou que não roubou nada.

Sem internet e telefone

Desde que teve sua prisão domiciliar decretada, em agosto de 2017, Serebrennikov está sem acesso a telefone ou internet. Com a decisão da justiça, ele poderá se deslocar livremente, mas não tem autorização para deixar Moscou.

Apesar da restrição, o cineasta celebrou a decisão. “Obrigado a todos que vieram me ver e me apoiaram (...). Isso me ajudou muito”, disse Serebrennikov. “Mas ainda não acabou. Vamos continuar na Justiça até que minha inocência seja totalmente provada”, declarou o diretor, que pretende retomar rapidamente suas atividades profissionais.

Aclamado em Cannes mesmo sem sair de casa

Mesmo durante sua prisão domiciliar, o diretor conseguiu trabalhar em vários filmes e espetáculos. Um de seus projetos durante esse período foi o filme “Leto”, aclamado no Festival de Cannes, em 2018.

Em março também estreou em Hamburgo (Alemanha) sua versão da ópera de Verdi "Nabucco". Para preparar o espetáculo, os ensaios eram filmados com um telefone celular e enviados ao advogado do artista, que os passava para cartões de memória e entregava ao diretor. Serebrennikov filmava seus comentários, que eram transmitidos a Hamburgo.

 (Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.