Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Mike Pompeo inicia viagem europeia na Hungria

media EUA-UE: Mike Pompeo inicia uma turnê européia pela Hungria REUTERS/Leah Millis

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, começou nesta segunda-feira (11) uma turnê pela Europa e escolheu a Hungria como o primeiro país a visitar. Ele se encontrará com o primeiro-ministro ultradireitista, Vikor Orban, antes de continuar sua viagem passando pela Eslováquia na quarta-feira (12) e, em seguida, pela Polônia, onde acontecerá uma reunião sobre a influência do Irã no Oriente Médio.

Mike Pompeo fez um apelo para que a Hungria não deixe a Rússia causar “divisões” entre os países ocidentais, num momento em que o governo de Viktor Orban está sendo acusado de se render aos interesses russos e chineses. “A Rússia e a China conseguiram adquirir mais influência aqui, mas eles não compartilham os ideais americanos que são tão importantes para nós”, disse o secretário de Estado da Casa Branca antes de seu encontro com o primeiro-ministro húngaro.

Essa é a primeira visita oficial da administração de Donald Trump ao governo húngaro. Orban é um dos grandes apoiadores do presidente americano no seio da União Europeia. O bloco é, em geral, bastante crítico do chefe da Casa Branca, em se tratando de seu discurso contra o multilateralismo e sua diplomacia imprevisível. Em setembro de 2018, o líder húngaro qualificou Trump de “ícone”, após seu discurso “antimundialista” diante da Assembleia Geral da ONU.

Entre tapas e beijos

Essa aproximação ideológica permitiu melhorar as relações entre Washington e Budapeste. Até então, durante o governo de Barack Obama, Orban sempre foi criticado por “ameaça à liberdade de imprensa, à justiça e à sociedade civil”. No poder desde 2010, o líder húngaro também já recebeu várias advertências das instituições europeias.

Entretanto, nem tudo são flores no “namoro à distância” entre Washington e Budapeste. Pompeo deve aproveitar sua visita para se encontrar com organizações de defesa de direitos humanos, que se declaram alvo de perseguição política no país. Orban também provocou os Estados Unidos recentemente ao atacar a Universidade da Europa Central (CEU), prestigiosa instituição fundada na capital da Hungria pelo milionário americano George Soros, de origem húngara.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.