Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 24/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Ataque a embaixada do Brasil em Berlim é o segundo desde posse de Bolsonaro

media A embaixada do Brasil em Berlim foi vandalizada durante a madrugada desta sexta-feira (1). C. Ramalho/RFI

O prédio da Embaixada do Brasil em Berlim amanheceu nesta sexta-feira (1) com a fachada pichada de vermelho e 13 vidraças quebradas. Foi o segundo ataque desde que o novo presidente Jair Bolsonaro tomou posse, em 1 de janeiro deste ano.

Cristiane Ramalho, correspondente da RFI em Berlim

O ataque aconteceu por volta das duas horas da madrugada. Segundo uma fonte revelou à RFI, dois seguranças de uma firma terceirizada responsáveis pela vigilância noturna teriam visto o grupo – de mais de quatro pessoas - se aproximando. Mas preferiram chamar a polícia, ao invés de partir para o confronto. Os vigilantes trabalham desarmados.

Funcionário limpa fachada da embaixada do Brasil em Berlim atingida por jatos de tinta vermelha. C. Ramalho

Os vidros da fachada do prédio, pichados com tinta vermelha, chamavam a atenção de quem chegava pela manhã para ser atendido pelo setor consular, que continuou aberto. Segundo a RFI apurou, no interior do prédio, o novo embaixador, Roberto Jaguaribe – que chegou a Berlim no início desta semana –, fez uma reunião de emergência com o corpo diplomático para discutir como reagir ao ataque.

A nota oficial divulgada no final desta manhã adotou um tom moderado. Dizia apenas que “a Embaixada foi alvo de ato de vandalismo” e “as autoridades policiais foram imediatamente contatadas e estão investigando o ocorrido”. A polícia alemã vai fazer a partir de hoje uma ronda de hora em hora no entorno do prédio.

Evandro Zago, novo chefe do setor de Imprensa da Embaixada, disse à RFI que os vídeos registrados pelas câmeras de segurança já foram entregues à polícia. Praticamente todas as vidraças da fachada lateral do prédio - que dão para um jardim público – foram danificadas. Nelas, havia ainda pichação com tinta preta.

Do lado de fora, segundo a RFI apurou, existem cinco câmeras de segurança, e no interior do prédio, mais três. De acordo com a mídia alemã, o caso está sendo investigado pelo Staatsschutz de Berlim, responsável por investigar delitos de motivação política. Os vidros teriam sido golpeados com objetos de ferro.

Segundo ataque em janeiro

No primeiro ataque, em 5 de janeiro, os vídeos registrados pelas câmeras de segurança também foram entregues para a polícia. Na ocasião, o prédio foi pichado com a frase: “Lutaremos contra o fascismo no Brasil”. Até o momento, a Embaixada não recebeu qualquer resultado oficial dessas investigações.

O prédio da Embaixada em Berlim já havia sido alvo de um ataque em maio de 2014, quando um grupo de encapuzados arremessou pedras quebrando boa parte das vidraças. O ato foi assumido por um grupo que divulgou um manifesto em alemão na internet, dizendo se tratar de um protesto contra “os gastos excessivos na Copa do Mundo”.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.