Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/08 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Às vésperas de voto decisivo em Londres, UE continua inflexível sobre acordo do Brexit

media Os britânicos devem deixar a União Europeia no final de março, mas muitos ainda se questionam se o Brexit vale a pena. REUTERS/Simon Dawson/File Photo

As autoridades da União Europeia afirmaram nesta segunda-feira (14) que o acordo de saída do bloco assinado com Londres não pode ser modificado. A declaração foi feita na véspera de um voto decisivo em Londres, quando os parlamentares britânicos deverão se posicionar sobre o controverso compromisso obtido pela primeira-ministra Theresa May e a União Europeia.

A primeira ministra britânica Theresa May fez um dramático discurso nesta segunda-feira em uma última tentativa de convencer os deputados sobre seu projeto de Brexit antes do voto. Ela disse que se o acordo não for adotado pelo Parlamento, há o risco de que o Reino Unido tenha que renunciar à saída do bloco, ou então deixar a União Europeia no final de março, mas sem nenhum compromisso, o que teria um impacto negativo na economia britânica.

Mas o texto que será avaliado nesta terça-feira (15) tem poucas chances de ser aceito. Os parlamentares não concordam com as condições do compromisso e pedem que ele seja renegociado com a União Europeia, mas Bruxelas se recusa categoricamente.

Em uma carta enviada ao governo britânico, o presidente da União Europeia, Donald Tusk, e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, explicam que o acordo que está sendo avaliado pelos parlamentares britânicos não será alterado. "Como sabem, não estamos em posição de aceitar nada que modifique ou seja contraditório em relação ao Acordo de Retirada", diz o texto.

Um dos pontos mais delicados do acordo, fruto de meses de negociação entre Theresa May e Bruxelas e que desagrada os defensores do Brexit, é a questão da fronteira entre a Irlanda do Norte e a Irlanda. Segundo o compromisso, o estabelecimento dessa fronteira seria evitado, mantendo o Reino Unido no mercado único europeu. Bruxelas insiste que não quer adotar o "Backstop", nome usado para esse mecanismo que evitaria uma fronteira entre as duas Irlandas.  

Eurodeputados cogitam suspender processo do Brexit

Cerca de 100 eurodeputados se mostraram dispostos a interromper provisoriamente o processo do Brexit. Em um comunicado divulgado também nessa segunda-feira, eles disseram que o Parlamento Europeu apoiaria uma pausa no divórcio.

“Partir sem um acordo seria um desastre para todo os partidos envolvidos, além dos cidadãos britânicos e europeus”, declararam os signatários do comunicado. “Qualquer decisão britânica de ficar na União Europeia seria calorosamente acolhida”, continua o texto, antes de concluir dizendo que “o Brexit enfraquece todos nós. Queremos que vocês permaneçam [no bloco]”.

Theresa May martela que, apesar das divergências, o Brexit não deve ser suspenso.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.