Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/07 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 20/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 20/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Milhares protestam contra reformas do premiê de extrema direita da Hungria

media Manifestantes contestam os métodos de governo do primeiro-ministro húngaro Viktor Orban REUTERS/Bernadett Szabo

Milhares de pessoas protestaram neste sábado (5) em Budapeste contra o primeiro-ministro nacionalista conservador, Viktor Orban. Os manifestantes contestam uma reforma adotada em dezembro pelo chefe do governo húngaro, que pretende flexibilizar a legislação trabalhista.

Organizada pelos partidos da oposição e sindicatos, assim como por ONGs, a manifestação reuniu cerca de 6 mil pessoas em frente ao Parlamento, entre eles, húngaros expatriados. O número é menor que as expectativas dos organizadores, que esperavam reativar o movimento depois das festas de fim de ano. Antes do Natal, eles conseguiram organizar dez dias de manifestações – algumas das quais marcadas por confrontos violentos.

Os protestos estouraram após a adoção, em meados de dezembro, de uma lei trabalhista. Segundo o texto, os empregadores podem pedir para que seus funcionários trabalhem até 400 horas extras por ano, ou seja, dois meses de trabalho, pagáveis em um prazo de até três anos.

A oposição também contesta da supressão de uma recente reforma de justiça, que ameaça reduzir a independência dos magistrados. Eles também pedem mais liberdade para os veículos de comunicação públicos, em um país frequentemente criticado por violar o Estado de direito.

"Queremos uma verdadeira mudança de regime, não estamos contra o governo, mas contra o conjunto do sistema", afirmou neste sábado o representante do partido liberal DK (oposição), Csaba Molnár.

Viktor Orban é frequentemente criticado por seus métodos de governo, considerados repressivos. O premiê de extrema direita, um dos poucos líderes europeus presentes na cerimônia de posse do presidente brasileiro Jair Bolsonaro, foi eleito em abril graças a uma campanha concentrada no repúdio à imigração.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.