Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Vazamento de dados pessoais de políticos na internet abala Alemanha

media Dois endereços de e-mail da chanceler Angela Merkel aparecem entre os documentos vazados na Internet. REUTERS/Fabrizio Bensch

Nem a chanceler Angela Merkel foi poupada. O mundo político alemão está abalado nesta sexta-feira (4) com a divulgação na internet de dados pessoais de centenas de figuras políticas, incluindo a chanceler, consequência de um ataque cibernético ou de um vazamento interno em grande escala.

Nenhum dado "sensível" proveniente da Chancelaria foi divulgado nesta ocasião, segundo assegurou nesta sexta-feira (4) uma porta-voz do governo alemão, Martina Fietz, confirmando o caso. "Está claro que os dados e documentos de centenas de políticos e personalidades públicas foram publicados na internet", disse ela.

"A partir de uma primeira análise, foram afetados pelo vazamento políticos de todas as origens, tanto no Parlamento Europeu, quanto no Bundestag (a Câmara dos Deputados alemã), nos parlamentos regionais, assim como vereadores", disse a porta-voz, acrescentando que o governo estava "levando este assunto muito a sério".

As pessoas por trás da revelação do vazamento, sem precedentes no mundo político alemão, ainda não foram identificadas.

Conta do Twitter bloqueada

Os dados foram divulgados por meio de uma conta no Twitter antes do Natal, mas a mídia e o governo relataram o ocorrido apenas nesta sexta-feira. A conta já foi bloqueada pela rede social. De acordo com um dos documentos publicados online, dois endereços dos e-mails da Chanceler aparecem, assim como um número de fax e o título da correspondência endereçada a ela. Mas as autoridades alemãs afirmaram que "dados falsos" também poderiam ter sido publicados.

A polícia afirmou que ainda não se pode dizer se os dados foram liberados como resultado de um ataque cibernético - como o país já sofreu várias vezes no passado -, ou de um vazamento interno. Em todo caso, a rede central de computadores do governo não foi alvo do ataque. A Polícia Criminal (BKA) da Alemanha e o serviço de Inteligência estão encarregados da investigação.

Todos os principais partidos envolvidos

A ministra alemã da Justiça, Katarina Barley, denunciou "um grave ataque" coordenado por aqueles que "querem sabotar a confiança na democracia e suas instituições". O chefe do grupo parlamentar da esquerda radical alemã, Dietmar Bartsch, também disse estar "profundamente chocado" com este "ataque sério à democracia em nosso país".

De acordo com vários meios de comunicação, incluindo o canal público RBB, que fala de pirataria, além de políticos também foram alvos do vazamento jornalistas do serviço público, apresentadores de televisão e astros da televisão alemã. Segundo o Ministério do Interior, todos os principais partidos políticos alemães, desde os democratas cristãos da chanceler até os verdes da oposição estão preocupados, além do Partido Alternativo de extrema direita para a Alemanha (AfD), de extrema direita.

Entre os documentos divulgados constam principalmente listas de contatos com centenas de números de telefone celular e endereços, bem como documentos internos dos partidos, como listas de associações. Alguns desses documentos, no entanto, datam de vários anos atrás, segundo o jornal Bild.

Hackers russos

Conversas por bate-papo, documentos de identidade, cartas, mas também detalhes de cartão de crédito foram tornados públicos.No final de novembro, o Der Spiegel já havia revelado um ataque nas caixas de correio eletrônicas de vários deputados.

As forças armadas alemãs lançaram em 2017 o seu "exército cibernético", com a missão de proteger sua sede de ataques informáticos. Nos últimos anos, o Bundestag e os partidos políticos também foram alvo deste tipo de ataques, segundo Berlim, além de serviços de inteligência estrangeiros.

Hackers russos são suspeitos de orquestrar essas operações. A inteligência alemã acusou o serviço secreto russo de realizar campanhas internacionais de ciberataque por espionagem e sabotagem.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.