Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Tensão em Bruxelas em manifestação contra pacto da ONU sobre migração

media Policiais belgas tentam conter manifestantes de extrema direita durante protesto contra o Pacto da Onu sobre migração. 16/12/2018 REUTERS/Francois Lenoir

Milhares de pessoas se manifestaram em Bruxelas neste domingo (16) contra o Pacto da ONU sobre migração. O encontro, convocado por um grupo de extrema direita, foi marcado por incidentes com as forças de segurança.

A polícia contou pelo menos 5.500 participantes, concentrados na vizinhança das instituições europeias. "Nosso povo primeiro", é o que estava estampado nos cartazes. Outros slogans pediam a renúncia do primeiro-ministro belga, Charles Michel.

Depois de um começo calmo, os manifestantes começaram a lançar projéteis contra as forças da ordem e as fachadas de alguns edifícios da União Europeia (UE). A polícia respondeu com gás lacrimogêneo e usou jatos de água para dispersar os manifestantes. A manifestação recebeu o apoio dos jovens do partido de extrema direita Vlaams Belang e de uma dúzia de outras organizações, principalmente flamengas.

Em outro bairro de Bruxelas, mil pessoas, segundo a polícia, participaram de uma contra-manifestação convocada por várias organizações que pedem para não estigmatizar os migrantes.

Crise política

O Pacto Global para as Migrações, assinado na segunda-feira por mais de 150 países, incluindo a Bélgica, visa fortalecer a cooperação internacional para uma "migração segura, ordenada e regular" e pede, entre outros, o fim das prisões arbitrárias. No entanto, seus opositores consideram uma forma de incentivar novos fluxos migratórios descontrolados.

O pacto provocou uma crise política na Bélgica, com a saída dos nacionalistas flamengos do partido N-VA do governo, liderado pelo liberal francófono Charles Michel, que, com isso, perdeu maioria no Parlamento. Além disso, vários partidos da oposição começaram a exigir uma moção de censura na Câmara de deputados, para julgar se o atual governo ainda tem capacidade de continuar no poder.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.