Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Igreja italiana terá que pagar bilhões de euros em impostos atrasados

media Imagem de Jesus crucificado dentro da Basílica de São Pedro, em Roma, 17/10/2018 Tiziana FABI / AFP

A justiça europeia pediu nesta terça-feira (6) para que o Estado italiano comece a cobrar as taxas municipais de bens imobiliários devidas pela Igreja Católica no país. Os imóveis visados são usados para fins educacionais e habitacionais.

Os juízes da Corte de Justiça da União Europeia aceitaram o apelo da instituição de ensino particular Montessori e de um proprietário de um albergue pedindo o fim da exoneração concedida à Igreja e anularam a decisão da Comissão Europeia (CE) que considerava “impossível” a recuperação de impostos devidos pela Santa Sé. Os valores envolvidos podem chegar a vários bilhões de euros.

Em dezembro de 2012, a CE havia decidido que a exoneração dos impostos e taxas municipais às instituições religiosas, no caso de uso dos imóveis para fins educativos e para moradia, deveria ser considerada como uma ajuda ilegal do Estado. No entanto, na ocasião, não foi expedida uma ordem de recuperação dos valores devidos.

Vantagem desleal

Os autores do apelo denunciaram uma vantagem desleal dada à Igreja e ressaltaram que as instituições religiosas e eclesiásticas exercem atividades similares às exercidas por eles.

Os juízes avaliaram que “a CE deveria ter analisado se havia outras alternativas que permitissem a recuperação, mesmo que parcial, da dívida”, e usaram esse argumento para justificar a decisão desta terça-feira.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.