Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Assassino da jornalista Viktoria Marinova confessa crime na Bulgária

media Funeral da jornalista búlgara Viktoria Marinova na Bulgária, em 12 de outubro de 2018. ©REUTERS/Stoyan Nenov

O assassinato da jornalista búlgara Viktoria Marinova está prestes a ser esclarecido. O suposto assassino confessou o crime à mídia búlgara. Por enquanto, nada parece indicar um assassinato relacionado ao seu trabalho. Antes de ser morta, Marinova realizou uma série de reportagens sobre corrupção envolvendo grandes figurões locais.

Damian Vodenitcharov, correspondente da RFI em Sofia

"Eu sou culpado, sinto muito”: com esta afirmação Severin Krasimirov, 20, confessou seu crime em frente às câmeras de televisão búlgaras. Único suspeito pelo assassinato de Viktoria Marinova, Krasimirov compareceu diante do juiz na cidade de Ruse, após sua fuga na Alemanha.

De acordo com seu relato, Krasimirov e Marinova teriam se encontrado na rua, em seguida, ele teria batido nela e ela teria caído no chão. Krasimirov diz que não se lembra do que aconteceu depois.

Viktoria Marinova, jornalista do canal regional TVN, foi encontrada morta em 6 de outubro, espancada, estuprada e desfigurada. Ela é a terceira jornalista morta na Europa em menos de um ano.

O assassinato foi condenado em todo o mundo e tem causado preocupação entre jornalistas na Bulgária, um país conhecido pela sua falta de liberdade de imprensa.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.