Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 20/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 20/10 09h30 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Morre aos 85 anos a soprano espanhola Montserrat Caballé

media A soprano espanhola quebrou tradições ao gravar um álbum com Freddie Mercury Pascal GUYOT / AFP

A soprano espanhola Montserrat Caballé morreu neste sábado (6) aos 85 anos em Barcelona, no hospital Sant Pau. Conhecida por sua técnica e pela potência de sua voz, a cantora de ópera ficou famosa por interpretações de Rossini e Bellini, mas também por sua colaboração com o cantor de rock Freddie Mercury. O velório ocorrerá neste domingo (7).

A soprano espanhola teve uma carreira internacional prestigiosa de meio século. Nascida no dia 12 de abril de 1933 em Barcelona numa família modesta, Montserrat Caballé estudou no conservatório do Liceu antes de chegar à Ópera de Bâle em 1956, interpretando “A boêmia”, de Giacomo Puccini.

A catalã, cuja poderosa voz era venerada pelo amantes de Ópera, cantava diversos repertórios, passando por Rossini, Bellini, Donizetti, Mozart ou Dvorak. Em 7 de janeiro de 1962, Montserra Caballé chegou à Ópera de Barcelona, o Grand Teatre del Liceu, e iniciou uma longa história de amor com um público fiel.

O sucesso foi ainda maior a partir de 1965, com a interpretação de “Lucrécia Borgia”, de Gaetano Donizetti, em Nova York. Em 1967, a cantora foi novamente aclamada pelo público com a “Traviata”, de Verdi, sob a direção de Georges Prêtre.

Ela ficou também conhecida por quebrar tradições e gravar um álbum em parceria com o cantor de rock Freddie Mercury, do grupo Queen. Uma das canções foi escolhida como hino dos Jogos Olímpicos de Barcelona em 1992.

Evocando uma “triste notícia”, o chefe do governo espanhol, Pedro Sanchez, parabenizou no Twitter “uma grande embaixadora do nosso país, uma soprano reconhecida internacionalmente”. “Montserrat Caballé, sua voz e sua delicadeza permanecerão sempre entre nós”, disse.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.