Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Presidente da Catalunha propõe novo referendo de independência

media Milhares de independentistas catalães se manifestaram em Barcelona depois da prisão de Carles Puigdemont na Alemanha, em março de 2018.. REUTERS/Albert Gea

Em entrevista publicada neste domingo (9), o presidente da região da catalunha, Quim Torra, propõe a realização de um novo referendo sobre a independência. A declaração antecede o início de uma série de eventos planejados pelos separatistas.

Quim Torra disse na última terça-feira (4) que "apenas um referendo de autodeterminação aceito, decisivo e reconhecido internacionalmente " teria valor pra ele. Isso porque a proposta de Madrid é que a realização da consulta seja feita sobre uma autonomia ampliada.

"Se o governo espanhol não considerar isso como uma posição negociável, então vamos avançar porque nós tem um mandato democrático ", diz Quim Torra em
a entrevista dada ao jornal catalão El Periodico.

Centenas de milhares de separatistas catalães são esperados nas ruas de Barcelona na terça-feira (11) para celebrar o feriado nacional da região que, neste últimos anos, tem servido de catalisador do sentimento separatista.

Em sua entrevista, o presidente da Catalunha também pede o suspensão das acusações contra nove líderes separatistas envolvidos no referendo de outubro passado e na declaração abortada de independência que o seguiu. O julgamento deles pode começar a partir de outubro.

 
O tempo de conexão expirou.