Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

De livraria online à gigante do setor tecnológico: Amazon alcança valor de mercado de US$ 1 trilhão

media Amazon se tornou líder da venda online REUTERS/Mike Segar

Duas décadas após sua criação, a Amazon alcançou a impressionante marca de US$1 trilhão de valor de mercado. No início uma pequena livraria online, a gigante norte-americana conquistou espaço e se tornou um caso de sucesso e de inspiração no setor da venda na internet.

Com o dinheiro que pegou emprestado de seus pais, o norte-americano Jeff Bezos fundou a empresa em 1994. Ele se tornou o homem mais rico do mundo – e sua criação se estendeu por todo o planeta. A Amazon conta hoje com 575.000 empregados.

Os tentáculos do site de vendas passaram até a abranger o setor do desenvolvimento de bens eletrônicos, propondo serviços de armazenamento em nuvem e lançando seu próprio assistente vocal inteligente, o “Alexa”. Com isso, a Amazon demonstra sua capacidade evolutiva e sua vontade de se adaptar à demanda de seus clientes.

Com tanto poder, cada vez que a empresa se lança numa nova aventura – como um serviço de séries e filmes sob demanda ou a compra do supermercado orgânico Whole Foods – os investidores ficam alertas.

A Amazon segue os passos da Apple, a primeira empresa norte-americana a atingir o valor de mercado de US$ 1 trilhão. Mas para Rob Enderle, um especialista do setor da tecnologia, a diferença é grande. “A Apple se sustenta com apenas um produto, o IPhone, enquanto a Amazon é o inverso disso”, explica.

Prima distante da Apple

Ainda que o funcionamento de mercado atual seja diferente, a história da Amazon e da Apple se assemelham: ambas nasceram de uma “ideia de garagem”, de um sonho mínimo. Jeff Bezos começou a vender livros online em 1995, instalado na periferia de Seattle. Dois anos mais tarde, ele tentou sua chance na bolsa de Nova York e se introduziu na Nasdaq, com o preço inicial de US$ 18 dólares.

De personalidade inovadora, o chefe da Amazon investia cada dólar que ganhava na própria empresa, o que incomodou os investidores durante muito tempo. “Ele se manteve concentrado em seu objetivo: dominar todo o comércio. Sua administração e estratégia foram extraordinárias”, disse Rob Enderle.

Mas um detalhe faz com que os investidores fiquem com um pé atrás: o preço de ação da Amazon com relação aos benefícios que ela traz é muito mais elevado que o de outras empresas do setor tecnológico. Entretanto, de maneira geral, a antiga livraria online seduz por sua performance: suas ações duplicaram em um ano. Seu capital também deve aumentar 28% em 2018, chegando a U$ 394 bilhões, de acordo com o centro de pesquisas eMarketer.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.