Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/07 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 15/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 15/07 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Pressionada pela UE, Theresa May propõe área de livre-comércio entre Reino Unido e bloco europeu

media Theresa May está sob pressão dos países europeus para propor um acordo pós-Brexit REUTERS/Simon Dawson/File Photo

A primeira-ministra britânica Theresa May anunciou nesta sexta-feira (6) que seu governo, dividido a respeito da saída do bloco europeu, chegou a um acordo comum. Trata-se da criação de uma “zona de livre-comércio” entre o Reino Unido e a União Europeia, uma medida que deve acelerar as negociações do Brexit.

O anúncio veio após uma reunião de seu governo em Chequers, a residência de férias dos primeiros-ministros britânicos, no noroeste de Londres. As negociações entre May e seus ministros duraram horas e a proposta chega atrasada, em um contexto de impaciência da União Europeia que exige explicações de como será a relação entre o Reino Unido e os outros países europeus quando o Brexit começar a valer.

“Nossa proposta é criar uma zona de livre-comércio entre o Reino Unido e a UE, com um conjunto de regras envolvendo os bens industriais e os produtos agrícolas”, declarou em um comunicado a dirigente conservadora. “Precisamos, agora, acelerar as negociações para oferecer um futuro próspero e seguro a nosso povo.”

A zona de livre-comércio permitirá ao Reino Unido ter um “regulamento comum de todos os bens” e das fronteiras. Além disso, o projeto dará aos britânicos seus próprios direitos alfandegários e acordos de livre-comércio.

Ainda restam muitas perguntas sem respostas

É uma proposta que será positiva para o Reino Unido e para a União Europeia e espero que ela será bem recebida”, afirmou May, prudente quanto à reação de Bruxelas. “É uma nova etapa importante em nossas negociações com a UE. Mas, é claro, nós temos ainda muito o que fazer para ter certeza de que vamos chegar ao fim das negociações até outubro”.

Ainda restam nove meses para que o Reino Unido deixe a UE e três para encontrar um acordo com o bloco. Theresa May está sob intensa pressão dos europeus e das empresas para que ela apresente uma solução. O responsável pelas negociações do Brexit de Bruxelas, Michel Barnier, reafirmou, antes da proposta de zona de livre-comércio, que havia muitas questões sem respostas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.