Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 23/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 23/09 09h30 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Itália precisa de imigrantes para pagar aposentadorias, diz chefe da Seguridade Social

media O ministro do Interior italiano, Matteo Salvini. AFP/Tiziani Fabi

A Itália registra um declínio de sua população e reduzir o fluxo migratório coloca em risco o fundo de pensão das aposentadorias do país. A afirmação é de Tito Boeri, chefe do Inps, o órgão que gerencia a Seguridade Social italiana.

Segundo ele, a reforma da aposentadoria proposta pela maioria parlamentar, formada pelos partidos Liga, de extrema-direita, e o movimento antissistema Cinco Estrelas, vai custar caro aos cofres do governo. Uma das propostas é facilitar o processo para trabalhadores que queiram parar de trabalhar mais cedo.

O custo da reforma é orçado entre € 18 e 20 bilhões. “Uma das desilusões dos nossos jovens de hoje é que, independentemente do resultado das urnas, as propostas do governo sempre são favoráveis aos aposentados”, lamentou. Ele ainda disse que a economia italiana precisa da mão de obra dos imigrantes para executar tarefas que os italianos se recusam a executar, como as de assistentes de enfermagem e trabalhadores agrícolas.  

“Onde ele vive, em Marte?”

O ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, que gerou polêmica se recusando a receber o navio Aquarius, ficou irritado com a declaração de Boeri, feita diante da Câmera dos Deputados. Ele defende que o país limite a entrada de imigrantes e disse que o presidente do Inps, um economista de centro-esquerda, “ignora que muitos italianos querem trabalhar e ter filhos. Onde ele mora, em Marte?”, perguntou.

Para o representante da Seguridade Social italiana, entretanto, essa política coloca o país em risco. Segundo Boeri, essa redução acarretaria, em cinco anos, a perda de uma população de 700 mil pessoas, o equivalente à população de Torino. Diante desse declínio demográfico, ele recomendou a manutenção do fluxo de imigração legal, que poderá assegurar o equilíbrio do fundo destinado às aposentadorias.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.