Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 12/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 12/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 12/11 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 12/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 12/11 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 11/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 11/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Solução para Irlanda representa “risco” para futuro do Brexit, diz negociador europeu

media Michel Barnier, principal negociador do Brexit da União Europeia, e o Taoiseach Leo Varadkar, premiê da Irlanda, participam de uma reunião sobre o Brexit em Dundalk, Irlanda, em 30 de abril de 2018. REUTERS/Clodagh Kilcoyne

O principal negociador da União Europeia (UE) para o Brexit, Michel Barnier, advertiu nesta segunda-feira (30) sobre os riscos que a delicada questão da Irlanda coloca nas negociações em curso com o governo britânico. Até o momento, os britânicos não conseguiram apresentar uma solução que dispense a restauração de uma fronteira entre Reino Unido e Dublin – que permanecerá integrante da União Europeia.

Essa fronteira teria de passar pela Irlanda do Norte, membro do Reino Unido. "O marco do acordo deve conter uma solução clara e operacional a respeito da Irlanda", disse Barnier em uma entrevista coletiva. "Até alcançarmos este acordo, existe um risco", afirmou, reiterando que "apenas uma solução específica na Irlanda do Norte funcionará”.

O prazo desejado para o avanço das negociações é junho. Reino Unido e UE afirmam que desejam evitar o restabelecimento de uma fronteira "dura" entre a província britânica da Irlanda do Norte e a República da Irlanda vizinha, que permanecerá dentro da UE, após a saída britânica do bloco, no fim de março de 2019.

O objetivo é preservar os Acordos de Paz de 1998, que acabaram com três décadas de confrontos violentos entre nacionalistas unionistas norte-irlandeses, reforçando os vínculos entre os dois territórios.

Irlanda do Norte dentro da UE?

Em março, os britânicos aceitaram integrar, no rascunho do acordo de saída da UE, a opção de um "espaço regulamentar comum" que, na prática, significaria que a Irlanda do Norte não sairia da UE, ao menos até uma solução satisfatória. Essa ideia, chamada de "backstop", "está sobre a mesa por causa das linhas vermelhas estabelecidas pelo Reino Unido", destacou Barnier.

Ao lado do negociador europeu, o primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, também afirmou que "o backstop não é a solução preferida de ninguém”. “As principais barreiras são as linhas vermelhas do Reino Unido", disse.

Em uma entrevista ao jornal irlandês Sunday Independent, Barnier destacou que "o Brexit criou um problema específico na Irlanda”. “É, portanto, responsabilidade do Reino Unido apresentar uma solução prática. Até agora, no entanto, não recebemos nenhuma solução prática", destacou.

Com informações da AFP

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.