Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/09 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 16/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 16/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Câmara dos Lordes britânica dá mais um passo contra o Brexit

media Apesar do referendo popular, Brexit ainda provoca debate no Reino Unido, inclusive entre os Lordes. REUTERS/Toby Melville

A Câmara dos Lordes britânica deu mais uma prova de sua resistência ao Brexit, ao adotar, nesta segunda-feira (30), uma emenda ao projeto de lei sobre a saída do país da União Europeia. O texto dá ao Parlamento o direito de poder impedir o governo de deixar o bloco na ausência de um acordo com Bruxelas. A decisão ainda precisa da validação dos deputados.

A emenda dá aos parlamentares a possibilidade de "sugerir novas negociações", ou mesmo decidir sobre uma permanência na UE, explicou o conservador Douglas Martin Hogg, um dos signatários do texto. A proposta dos Lordes foi adotada por 335 votos a favor contra 244.

Esta votação representa mais um obstáculo para o governo desde que o projeto de lei foi debatido pela primeira vez pela Câmara dos Lordes, em sua maioria pró-UE, e ilustra as divisões do governo em relação ao Brexit. Mesmo antes de sua adoção, o Executivo havia alertado que tal proposta iria "enfraquecer a mão do Reino Unido nas negociações” sobre a saída do país da União Europeia, de acordo com uma porta-voz de May.

Em abril, os Lordes já haviam votado para manter a Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia na Constituição britânica e adotaram uma emenda questionando o plano do governo de deixar a união aduaneira.

Após ser discutido pelos Lordes, o texto deve retornar em maio para os deputados, que podem suprimir ou modificar esta emenda embaraçosa para o Executivo. O governo conservador de Theresa May havia indicado que deixaria o Parlamento votar o acordo de divórcio. Mas, no caso de rejeição, a única opção restante seria uma saída sem acordo, uma perspectiva que preocupa particularmente as empresas britânicas.

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.