Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/08 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 12/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 12/08 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Últimas notícias
  • Morre, aos 76 anos, a cantora Aretha Franklin
Europa

União Europeia proíbe três pesticidas perigosos para abelhas

media União Europeia proibe três pesticidas perigosos para abelhas. AFP/Patrick Seeger

Três pesticidas neonicotinoides considerados perigosos para as abelhas, que já estavam submetidos a restrições de uso na União Europeia (UE), serão proibidos quase por completo após o voto nesta sexta-feira (27) da maioria dos Estados membros, anunciou a Comissão Europeia.

O futuro da clotianidina, do imidacloprid e do tiametoxam - substâncias neurotóxicas muito utilizadas que atacam o sistema nervoso dos insetos - estava em suspenso desde 2013, após uma primeira avaliação negativa da Agência Europeia para a Segurança dos Alimentos (Efsa).

A UE proíbe a partir de agora o uso das substâncias em cultivos ao ar livre, com a única exceção da utilização em estufas, desde que as sementes e plantas não saiam de seu abrigo fechado.

A maioria qualificada dos Estados membros (ao menos 16 países de 28 que representam 65% da população) apoiou a proposta da Comissão durante uma reunião de especialistas nesta sexta-feira.

Restrições e moratória

Em 2013, a UE já havia adotado restrições sobre as três substâncias, mas duas gigantes do setor químico apelaram contra a decisão, a suíça Syngenta e a alemã Bayer.

A moratória parcial incluiu as plantações que atraem as abelhas (milho, girassol, entre outros), com algumas poucas exceções. O bloco europeu não aguardou o resultado do processo no Tribunal da UE, ainda em curso.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.