Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 21/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 21/06 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/06 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/06 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Brasília treme com prisão de Lula, diz Le Monde

media A imprensa europeia repercute o decreto de Moro para prisão de Lula Fotomontagem RFI

Após a emissão de um mandado de prisão pelo juiz Sérgio Moro, Lula está prestes a ir para a cadeia, destaca o jornal Le Monde. Condenado a doze anos e um mês de prisão por corrupção, o ícone da esquerda brasileira tem até a tarde desta sexta-feira (6) para se apresentar à polícia federal.

"O peso pesado da esquerda", diz Le Monde, “tem também outros seis processos e nega ferozmente as acusações, alegando a ausência de provas e denunciando uma conspiração para impedi-lo de concorrer à presidência nas eleições de outubro.” Segundo o jornal, os políticos em Brasília estão tremendo com medo de terem o mesmo destino que Lula.

O jornal Les Echos dedica uma página inteira de sua edição com o título “Terremoto político no Brasil”. Depois de pouco mais de 15 anos de ter chegado à presidência da república, Lula vai ficar atrás das grades.

O jornal cita também a reação positiva do mercado financeiro após o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o habeas corpus do ex-presidente. Segundo o jornal, a saída de Lula da corrida eleitoral vai colocar temporariamente o candidato de extrema-direita Jair Bolsonaro na liderança das pesquisas de opinião.

“Lula a caminho da prisão, a esquerda perde um ídolo”, destaca o jornal conservador Le Figaro. A matéria chama a atenção para a série de violências políticas que precederam o dia do julgamento do STF.

Figaro cita o assassinato de Marielle Franco e o ataque a tiros à caravana de Lula durante sua campanha pelo sul país. “Lula se coloca como um mártir de uma justiça decidida a impedi-lo de conquistar o seu terceiro mandato”, evidenciado pelas pesquisas de opinião, diz Le Figaro.

Segundo a publicação, os brasileiros não se esquecerão do presidente que fez mais de 30 milhões de pessoas saírem da miséria. Ainda em sua matéria, Le Figaro cita a plataforma Netflix que, por "coincidência ou estratégia de marketing", ironiza o jornal, lançou a série “O Mecanismo”, que faz alusão à operação Lava Jato, no mesmo momento em que a justiça decidiria sobre destino de Luiz Inácio Lula da Silva.

“Lula deveria ir para a cadeia enquanto todos os recursos não foram esgotados?” - interroga o jornal La Croix. "Agora nada parece ser capaz de impedir a prisão de Lula", diz a publicação.

O jornal português O Público lembra que o ex-presidente ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça e ao Supremo Tribunal Federal, não para contestar a matéria dos julgamentos, mas para verificar se houve ilegalidades nos processos, tentando assim obter a sua anulação.

O britânico The Guardian destaca que a decisão trará um sério golpe à sobrevivência política do primeiro presidente da classe trabalhadora do Brasil e potencialmente aprofundará as divisões no país, que tem sido atormentado por episódios de violência política.

O espanhol El País fala que o destino final do homem que se tornou um dos chefes de Estado mais populares do planeta é a prisão de Curitiba, onde encontrará outros presos políticos como o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, mentor do impeachment contra Dilma Rousseff. E também seu ex-ministro da Fazenda e velho amigo Antônio Palocci, que acabou contribuindo com Moro fazendo acusações contra Lula.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.