Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Direita italiana e Movimento 5 Estrelas vão dividir liderança do Parlamento na Itália

media O presidente italiano Sergio Mattarella com a nova presidenta do Senado Elisabetta Alberti Casellati, neste sábado Italian Presidential Press Office/Handout via REUTERS

Os dois partidos fecharam um acordo neste sábado (24) e vão dividir as presidências da Câmara dos Deputados e do Senado, três semanas depois das eleições legislativas que não permitiram a obtenção de uma maioria.

Roberto Fico, do Movimento 5 Estrelas (M5E), foi eleito presidente da Câmara dos Deputados, e Elisabetta Alberti Casellati, próxima de Silvio Berlusconi, foi escolhida como presidente do Senado. Ela é a primeira mulher a ocupar esse cargo, depois um acordo entre o M5E e a coalizão de extrema-direita.

Fico, de 43 anos, foi eleito com 422 votos dos 620 votantes, e Alberti Casellati, de 71, obteve 241 votos de 320, resultados que confirmam que ambos respeitaram as ordens nas Câmaras. O atual chefe de governo, Paolo Gentiloni, de centro-esquerda, apresentou oficialmente sua demissão, embora vá continuar no cargo do gabinete até a formação de um novo Executivo.

Consultas para formação do governo começam em abril

A eleição dos presidentes constitui uma primeira etapa antes do início das consultas, a partir do início de abril, para formar um futuro governo. As eleições de 4 de março colocaram a terceira economia da zona do euro em uma grande incerteza, já que dois campos reivindicam o poder: de um lado, a coalizão de direita, que obteve 37% dos votos e é liderada pela Liga Norte de Matteo Salvini (de extrema direita) e, de outro, o M5E, primeiro partido do país com 32% dos votos.

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.