Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Milhares de austríacos vão às ruas contra governo de extrema-direita

media Um dos cartazes diz: "Não aos nazistas no poder!". REUTERS/Heinz-Peter Bader

Pelo menos 20.000 pessoas manifestaram neste sábado (13) em Viena contra a coalizão de direita e extrema direita, no poder há quase um mês na Áustria, criticada por suas posições acerca da imigração e seu programa social.

Segundo a polícia, cerca de 20 mil manifestantes responderam à convocação do chamado "comitê do ano novo" e se reuniram em um grande bloco no centro da cidade.

Os organizadores previam a presença de 10 mil pessoas, mas estimam que tenham comparecido entre 25 mil e 50 mil.

Sebastian Kurz, de 31 anos (conservador), venceu as eleições de 15 de outubro e formou o governo em meados de dezembro com a extrema direita do Partido da Liberdade da Áustria (FPÖ), que ganhou seis ministérios-chave. Seu líder, Heinz-Christian Strache, tornou-se vice-chanceler.

Contra o avanço do nacionalismo

"O que temo é que esse tipo de governo se banalize, vire a nova regra", disse à AFP Christa, uma manifestante de 55 anos.

Tobias Grettica, um alemão de 47 anos, disse estar "inquieto com o avanço do nacionalismo em todas as partes, não apenas na Áustria".

Essa é a primeira grande manifestação contra o novo governo. Ela foi convocada por organizações de esquerda e antirracistas.

Anna, de 23 anos, disse protestar contra "um governo que quer dividir a sociedade, minar os direitos das mulheres e desvalorizar a solidariedade".

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.