Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 24/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/09 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 23/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 23/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Brexit pode fazer Reino Unido perder 500 mil empregos

media O país perderá US$ 62,9 bilhões em investimentos durante a transição. Daniel LEAL-OLIVAS / AFP

A saída da União Europeia (UE) custaria ao Reino Unido quase meio milhão de empregos, no pior dos cenários, segundo um estudo encomendado pela prefeitura de Londres e publicado nesta quinta-feira (10).

Caso o país deixe a UE sem um acordo com o bloco, poderá perder 482 mil empregos entre 2019 e 2030, segundo o levantamento da Cambridge Econometrics.

Se o Reino Unido não conseguir negociar um período de transição para a saída, nem um acordo sobre a futura relação comercial, o país perderá US$ 62,9 bilhões em investimentos neste mesmo período.

Perdas humanas e econômicas

O informe compara quatro desfechos para a situação atual - que o governo descarta manter - de permanência no mercado único e na união aduaneira.

Na hipótese mais otimista, o país acertaria um período de transição de dois anos, que levaria à permanência no mercado único, mas sem união aduaneira. Mesmo assim, custaria caro com a perda 176 mil empregos e 20,2 bilhões de libras em investimentos.

O prefeito Sadiq Khan, que fez campanha contra o Brexit no referendo de 2016, disse que as conclusões do estudo demonstram "riscos econômicos e de custo humano potenciais que estão em jogo nas negociações".

Khan acusou o governo de uma "falta absoluta de preparo" para avaliar o impacto do Brexit, e solicitou que os ministros mudem sua posição negociadora e peçam a permanência no mercado único e na união aduaneira. O governo rechaça essa possibilidade, pois teria que continuar permitindo a livre-circulação de europeus - e um dos seus objetivos é justamente reduzir a imigração.

Um porta-voz do ministério britânico encarregado do Brexit disse que "o Reino Unido quer uma aliança especial com a União Europeia, que inclua uma nova relação econômica e em segurança".

No pior cenário, segundo a Cambridge Econometrics, a saída do mercado único e da união aduaneira provocaria um verdadeiro abalo na economia com a supressão de quase meio milhão de empregos.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.