Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 14/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/10 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Merkel busca coalizão com social-democratas

media Angela Merkel em Bruxelas (24/11/17). REUTERS/Eric Vidal

A chanceler alemã Angela Merkel afirmou, neste sábado (25), querer formar um novo governo "muito rapidamente" com os social-democratas, porque "a Europa precisa de uma Alemanha forte".

"Por isso, seria desejável formar muito rapidamente um governo", explicou Merkel em discurso ante os representantes regionais de seu partido, a União Democrata Cristã (CDU), em Kühlungsborn (nordeste).

Merkel não conseguiu formar um governo com os ecologistas e os liberais, dois meses depois de ter ganhado as eleições legislativas, nas quais obteve um número de deputados menor que o esperado.

Após uma intervenção do presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, o Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD) conseguiu negociar uma nova "grande coalizão" dirigida por Merkel. Depois do resultado das legislativas, o SPD tinha anunciado sua intenção de passar à oposição e não renovar seu acordo de governo com os conservadores.

"Respeito mútuo"

As negociações com o SPD devem se desenvolver "baseadas no respeito mútuo", declarou Merkel, que já governou em duas ocasiões com o partido, entre 2005 e 2009 e de 2013 a 2017.

O presidente Steinmeier, ex-dirigente do SPD e ex-ministro de Relações Exteriores de Merkel, deve receber, na próxima quinta-feira, a chanceler e o líder social-democrata Martin Schulz.

Merkel reiterou sua oposição à organização de eleições antecipadas que, segundo as últimas pesquisas, não levariam a resultados diferentes das de 24 de setembro, apesar de poderem favorecer o partido de ultra direita Alternativa para Alemanha (AfD), que pela primeira vez chegou ao Parlamento federal.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.