Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Europa

Papa Francisco oferece almoço a milhares de excluídos na Jornada Mundial dos Pobres

media Papa Francisco almoça com pessoas carentes convidadas para compartilhar com ele a primeira Jornada Mundial dos Pobres. REUTERS/Max Rossi

O papa Francisco convidou neste domingo (19) para uma missa e um almoço no Vaticano milhares de pessoas excluídas socialmente. Ele quis compartilhar com elas a primeira Jornada Mundial dos Pobres. Na missa celebrada na Basílica de São Pedro, o papa pediu aos fiéis que lutem contra a indiferença em relação aos mais necessitados.

"Temos talentos, somos talentosos aos olhos de Deus. Portanto, ninguém pode se considerar tão pobre ao ponto de não poder dar nada aos demais", disse Francisco, perante 7 mil pessoas reunidas no Vaticano. Cerca de 4.500 pessoas foram convidadas por Francisco enquanto carentes, que passam por privações como a falta de um teto para morar.

"Não fazer nada de mal não basta. Deus é um pai em busca de seus filhos a quem confiar seus bens e seus projetos", acrescentou o argentino. De acordo com Francisco, "a omissão perante os pobres também é um pecado". "Isso tem um nome preciso: indiferença. É como dizer 'isso não é problema meu, é culpa da sociedade", explicou.

Em sua mensagem, o papa argentino lembrou que os pobres, em sua fragilidade, são dotados de uma força salvadora. "Apesar de terem pouco valor ante os olhos do mundo, são eles que nos abrem o caminho para o céu", completou.

Após a missa, o papa almoçou com 1.500 necessitados em uma sala do Vaticano. Outras 2.500 pessoas comeram nas cantinas das diferentes instituições pontifícias nas redondezas. A jornada tem como objetivo incentivar os católicos a reagir contra o que a Igreja classifica de "a cultura do descarte e do esbanjamento".

Clínica médica na Praça de São Pedro

Desde que foi eleito em 2013, Francisco se comprometeu com "uma igreja pobre para os pobres", por isso costuma criticar o acúmulo de riquezas em mãos de poucos privilegiados e denunciar as crescentes desigualdades registradas no mundo. Iniciativas semelhantes foram realizadas em todas as dioceses da Itália e do mundo.

Na Praça de São Pedro foi aberta neste domingo uma clínica médica gratuita para ajudar os desamparados. Homens e mulheres são acolhidos por voluntários em caminhões especialmente habilitados e têm acesso a exames de cardiologia, dermatologia, ginecologia e doenças infecciosas.

Fome volta a aumentar no mundo

Em outubro passado, o papa Francisco falou da fome no mundo na sede na Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) em Roma, onde denunciou "a atitude de indiferença - em nível pessoal, das instituições e dos Estados - em relação a quem morre de fome ou sofre de má nutrição.

Segundo o último informe da FAO, a fome voltou a aumentar no mundo, já que afeta 815 milhões de pessoas, 11% da população do planeta. O aumento se deve em grande parte à proliferação dos conflitos violentos e às mudanças climáticas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.